MEMORIA - Clonagens de celular disparam e preocupam Anatel


20 DE SETEMBRO DE 2005

Apesar do esforço e dos investimentos em tecnologia feitos pelas operadoras de celular, reconhecido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), as fraudes no serviço continuam crescendo, segundo balanço divulgado ontem. A agência contabilizou entre janeiro e agosto deste ano um número de reclamações somente sobre clonagem de celulares 57% maior que o registrado em todo o ano de 2004. O balanço apresentado pelo presidente da agência, Elifas do Amaral, aos senadores da Comissão de Infra-Estrutura do Senado revela que neste ano a central de atendimento da agência recebeu 7.380 reclamações sobre clonagem, contra 4.694 durante os 12 meses de 2004. O número preocupa a Anatel principalmente pela dimensão que ganhou nos dois últimos anos. Em 2003, as reclamações registradas sobre o assunto somavam 603. Técnicos da agência estimam, no entanto, que o número mensal de fraudes envolvendo celulares no Brasil já atinjam cerca de 100 mil registros, incluindo o uso de documentos falsos, desvios e roubos de equipamentos, uso indevido de informações por funcionários das empresas, fraudes técnicas e também a clonagem. Esse número, no entanto, não é captado oficialmente pela Anatel.Com base apenas nas reclamações dos usuários, a Vivo lidera o número de celulares clonados, com 4.067 reclamações apenas em 2005, da quais 2.057 somente em São Paulo. A Claro aparece em segundo lugar com 1.293 registros, a Telemig Celular em terceiro, com 1.088 reclamações, e a TIM em quarto com 581.

(Patrícia Zimmerman/ Folhapress)

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo