EDITORIAL -

Londrina, destaque no agronegócio


 

É muito significante para Londrina ser escolhida pelo governo federal como a primeira cidade a receber um Polo Tecnológico do Agro. Mostra a força do município nas áreas de agronegócio e inovação tecnológica.  


O lançamento do polo tecnológico, na última terça-feira (12), foi feito pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, no Parque Ney Braga. A ministra visitou a cidade para a abertura do Agrobit 2019.   




Em Londrina, Tereza Cristina ressaltou que o agro está em um momento de avançar em inovação e tecnologia e elogiou a condição do Paraná que, segundo ela, ao lado de São Paulo, está na frente em desenvolvimento tecnológico voltado para o campo. Para a ministra, é com inovação que o Brasil, que já é um celeiro mundial, crescerá ainda mais nessa área.  

 

Não é de agora que os empresários rurais (pequeno, médio ou grande) têm a tecnologia como importante aliada na condução de seus negócios. É ela que vem ajudando na sustentabilidade, na produtividade e na qualidade da produção brasileira. Também faz diferença na melhoria da qualidade de vida das pessoas que vivem e trabalham na zona rural. Quando bem utilizadas, as inovações tecnológicas são de extrema ajuda na redução do consumo de recursos naturais, como água, energia e combustível.   

 

A criação do Polo Tecnológico do Agro em Londrina certamente trará visibilidade para a região e atrairá recursos públicos e privados para o desenvolvimento de projetos. Em Londrina, a ministra firmou um compromisso que não pode ser esquecido pelos paranaenses. “Esse polo vamos tratar com muito carinho”, comentou. “Isso é prioridade, a tecnologia, os polos”. 


A intenção do ministério é promover a criação de 12 centros tecnológicos do agronegócio no País, em articulação com universidades, institutos de pesquisa e governos estaduais e municipais, além da iniciativa privada. Fortalecendo, é claro, as vocações regionais.  


A projeção de que a população mundial chegará a 9,7 bilhões em 2050 significa a necessidade de produção de alimentos mais eficaz que a atual e com o desafio de preservar os recursos naturais. Como acontece há décadas, Londrina certamente ajudará a vencer esse desafio.  

 

Obrigado por ler a FOLHA! 

 


Continue lendo


Últimas notícias