Informe Folha A vingança de Braga A vingança é um prato que se come frio. Foi com esse espírito que o ex-delegado-geral da Polícia Civil Arthur Braga desembarcou ontem na CPI do Narcotráfico para falar do que ele denominou de ‘‘bons policiais’’. ‘‘Dos maus e dos corruptos, todo mundo já falou’’, disse numa referência direta a João Ricardo Képpes Noronha que o desbancou numa briga interna em 1998, com a anuência do comando geral. Artur Braga defendeu prisão para aqueles onde a culpabilidade ficar comprovada. O ex-delegado disse que fez inúmeros alertas à corporação, mas nunca foi ouvido. ‘‘Presumo que o secretário (Candido Martins) tivesse conhecimento desses fatos’’, ponderou. Braga falou em sessão fechada à CPI. Ao que tudo indica, levou aos deputados da comissão dossiê completo sobre casos de corrupção e de suspeitas levantadas durante sua gestão, que nunca puderam ser apurados. Nos cascos A sempre tão calma deputada Laura Carneiro (PFL-RJ) desceu do salto, ontem, durante tomada de depoimento na CPI do Narcotráfico. ‘‘A senhora me respeite, porque sou uma deputada. Dormi apenas uma hora. Sou mansa quando tem que ser’’, desancou em cima de uma mulher que falava alto na platéia. Laura Carneiro tentava ouvir um depoimento. Afastamento Padre Roque (PT) quer que a CEI da Assembléia afaste imediatamente o deputado Luiz Carlos Alborghetti (PTB) de seus quadros. Alborghetti foi apontado por uma testemunha convocada pela CPI como parte envolvida com a droga no Estado. O presidente da CEI, Ângelo Vanhoni (PT), não quis polemizar. Só fala da troca semana que vem, quando a CEI voltar a se reunir. Piada Pizza com guaraná? Não, no Paraná, é pizza com coca. Cotado Nove entre dez governistas garantem que o próximo procurador-geral da Justiça será Jair Cirino dos Santos, o segundo mais votado da lista tríplice elaborada pelo Ministério Público. Lerner assinaria a nomeação antes de viajar para Los Angeles, Estados Unidos. O governador embarca nesta sexta-feira e fica uma semana. Folia Os sindicatos filiados à CUT-Paraná prometem começar a folia hoje. Pelo terceiro ano consecutivo, o ‘‘Bloco Carnavalesco e Revolucionário Balança Povo que o de Cima Cai!’ desfila pelas ruas do centro de Curitiba. O lema deste ano é: ‘‘Brasil, outros 500’’, um contraponto às comemorações em torno do descobrimento. Luto Morreu ontem em Curitiba o juiz do Tribunal de Alçada, Carlos Alberto Raitani Condessa. O corpo foi velado na capela do Palácio da Justiça. O magistrado integrava a 6ª Câmara Cível do Tribunal. Raitani Condessa tomou posse no TA recentemente, no dia 13 de agosto do ano que passou. Perguntinha Quando a CPI do Narcotráfico for embora, tudo volta ao normal na Polícia? Algemas Exagero ou não, há quem garanta na CPI do Narcotráfico que Noronha e o delegado Mario Ramos (Cope) saem presos hoje no depoimento marcado para as 10 horas. Privilégios O empresário Hissan Hussein Deheine, preso há três dias pela CPI, é conhecido do prefeito de Araucária, Rizzio Wachowickz. Além de contribuir para caixinha de campanha, o empresário acusado de envolvimento com o tráfico de drogas já recebeu incentivos da Prefeitura. Isenção de impostos e permissão para construir postos de gasolina a menos de 100 metros de distância. Incompatibilidade ‘‘Aonde a polícia é corrupta, não há qualidade de vida.’’ Frase do deputado federal Heber Silva (PDT-RJ). Sem salário O afastamento de Noronha, demais delegados, e de policiais civis, até que as suspeitas estejam completamente dissipadas, inclui, além do constrangimento moral, a suspensão de salários. A decisão, ainda não comunicada aos envolvidos, foi tomada ontem pela manhã pelo governador, na reunião do ‘‘Chapéu Pensador’’ com o seu staff. ‘Circo’ Os deputados estaduais que se sentiram atingidos com a CPI estão fulos e já começam a dizer que a comissão está, mais do que tudo, atrás de holofotes. ‘‘As testemunhas que eles trazem é uma pouca vergonha. Traficantes falando mal de gente de bem’’, protestou o secretário geral da Assembléia, Hermas Brandão (PTB). Amenidades Para fugir dos freje da CPI, vale tudo. Lerner passou duas horas trancafiado ontem com as meninas do basquete, em seu gabinete no Palácio Iguaçu. O time paranaense foi exibir a taça de campeão paulista de basquete, conquistada no último mês pela equipe da ex-jogadora Hortência. Mimo Na conversa com as atletas paranaenses, Lerner fez propaganda do netinho Ben. Disse para as moças que o menino vai muito bem obrigado. Hortência presenteou o avô coruja com um uniforme da equipe. Tamanho recém-nascido. Terreno livre O fim do domínio de Aníbal Khury (PFL) sobre a Segurança Pública do Paraná, de certo modo, ajudou a CPI do Narcotráfico a encontrar terreno fértil de investigação no Paraná. Avaliação geral de políticos que acompanharam de perto a trajetória do deputado, que morreu há seis meses. ‘‘Se o Aníbal estivesse vivo, não ia ter gente falando tudo o que falou nos depoimentos à CPI’’, garante uma fonte governista. Vapt-Vupt • O salão do Palácio ficou apertado, anteontem, para abrigar todos os secretários, prefeitos, vereadores e deputados representantes das regiões que estão sendo beneficiadas com o repasse de R$ 1,8 milhão para a Secretaria da Criança. • Os jornalistas nem precisaram perguntar sobre a guerra fiscal, e Lerner já foi respondendo. Disse que quando o Estado ajuda na instalação de indústrias e empresas, está pensando na geração de empregos. ‘‘Estamos pensando nas pessoas. Criar empresas não é fazer uma guerra fiscal, é proporcionar paz social.’’ • O governador não quis comentar nada sobre a situação do prefeito de Londrina Antonio Belinati. Fazendo de conta que ambos estão em partidos diferentes, não o PFL, disse que Belinati é um problema de Londrina e que só irá se pronunciar depois que o Ministério Público der parecer. De Curitiba, com redação e sucursais