Informe Folha









Reformas
A Assembléia começa a montar hoje o edital de concorrência para promover reformas nos três prédios que integram o complexo do Poder Legislativo, em Curitiba. O secretário da Casa, Hermas Brandão (PTB), tem reunião com a arquiteta que vai coordenar a execução das obras. Hermas disse ontem que ainda não sabe o custo total das reformas. Tem dado a entender, entretanto, que as despesas serão bancadas pelos cofres da própria Assembléia. Segundo ele, existem setores prioritários como o elétrico e o hidráulico. A Assembléia retoma as atividades em meados do mês de fevereiro, quando termina o recesso parlamentar, e até lá a mesa executiva quer concluir a licitação. As reformas englobam a readequação de espaços, novos gabinetes (um para a presidência, outro para a liderança da oposição e uma sala de imprensa), pintura nova, e reboque em áreas corroídas pela ação do tempo.



Encontro
Rafael Greca (PFL) reuniu-se ontem com o deputado federal Affonso Camargo Neto (PFL), no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. Na pauta oficial: articulações com o objetivo de ampliar o espaço do Paraná nos ministérios.
Mexida
Ninguém confirma no Ministério, mas a informação é quentíssima. Chegou-se a cogitar, dia desses, não a demissão mas o rebaixamento de Tereza Castro da Secretaria Executiva do Ministério do Esporte e Turismo para a chefia de gabinete do ministro. Ordens superiores, acima de Greca.
Desconfiômetro
Basílio Zanusso (PFL) já gastou a sola do sapato. Pré-candidato à vaga de conselheiro no TC, o deputado perdeu as contas de quantas vezes tentou conversar com Lerner no Palácio. Não caiu ainda a ficha do deputado. O governador quer empurrar essa discussão para abril, quando abre outra vaga no Tribunal.
Condecoração
Lerner entregou ontem a ‘‘Ordem do Pinheiro’’, uma condecoração paranaense, para a cônsul-geral da República da Alemanha em Curitiba, Rose Dorothea Lassig, que aproveitou a cerimônia para despedir-se do Paraná. O consulado da Alemanha está fechado desde o dia 1º de dezembro passado.
Recorde
Itaipu bateu novo recorde mundial de produção de energia no ano que passou. Sozinha, gerou 90 bilhões de quilowatts-hora, ultrapassando seu próprio recorde registrado no final de 1997, quando atingiu a produção de 89,2 bilhões de quilowatts-hora. A direção da usina comemorou os números.
Potencial
A quantidade de energia produzida daria para abastecer 46,3% do consumo anual de energia de países como Portugal e Espanha. E a energia total, durante um ano e meio, da Argentina ou da Venezuela, ou ainda de cerca de três anos de um país como Chile.
Imbatível
Segundo as contas da diretoria da binacional, a marca de Itaipu dificilmente será batida, pelo menos nos próximos anos. Nem pela Usina Hidrelétrica de Três Gargantas, em construção da China e que pelos cálculos dos chineses terá uma produção anual de 84,7 bilhões de quilowatts-hora.
Cobertura
Atualmente, Itaipu é responsável pelo suprimento de 25% da energia consumida no Brasil, ou o equivalente a 33% da demanda das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, as mais desenvolvidas do País. A hidrelétrica responde, paralelamente, por 89,2% do consumo de todo o Paraguai.

Check-up
O secretário do Esporte e Turismo, Ney Leprevost, foi rendido por um forte resfriado na volta do feriadão de final de ano. Ontem, o secretário foi ao médico fazer um check-up nos pulmões. Ney Leprevost quer estar 100% bem para enfrentar o Pré-Olímpico de Futebol que começa no próximo dia 18 de janeiro, e cujos jogos se realizarão concomitantemente em Cascavel e Londrina.
Rescaldo 1
O réveillon promovido no Parque Barigui, no sábado que passou, detonou um clima de reeleição. Os apresentadores contratados pela Prefeitura de Curitiba repetiam de cinco em cinco minutos que a iniciativa da festa era do prefeito Cassio Taniguchi (PFL). O cantor João Lopes – aquele que canta a música ‘‘Bicho do Paranᒒ – foi mais além.
Rescaldo 2
Embalado pelo clima, João Lopes sugeriu com todas as letras que Cassio Taniguchi era melhor porque era japonês. E que o ‘‘japonês daqui’’ era melhor que os outros, numa referência aos prefeitos de outras cidades. ‘‘Nosso japonês é melhor. Por isso, vamos reelegê-lo para prefeito de Curitiba, neste ano’’, sugeriu na cara dura.
Esperança
A esperança é a última que morre e a virada de ano é momento fértil para inspirações. Tem professor da rede estadual que ainda acredita que vai receber pagamento extra – em ‘‘vale saber’’ – por ter se aprimorado profissionalmente.
Informatização
Hermas Brandão, o secretário geral da Assembléia não demonstra entusiasmo com as duas propostas que tem sobre a mesa, de informatização do Poder Legislativo. Tanto a catarinense Aporte como a paranaense Celepar apresentaram orçamentos muito salgados: algo em torno de R$ 3 milhões para instalar o sistema. ‘‘Os valores serão revistos. A Assembléia pagará somente aquilo que necessita’’, vai logo avisando o deputado.
Perguntinha
Vai ter réveillon no Parque Barigui todo ano?

Vapt-Vupt
• Não foi só o governo Lerner que foi reprovado pela pesquisa doméstica realizada pelo PPS e divulgada ontem. O governo Fernando Henrique também foi bombardeado pelos 800 militantes ouvidos. Do total, 80,6% classificaram a gestão federal de ‘‘fraca, ruim ou péssima’’.
• A pesquisa PPS avaliou ainda o trabalho dos atuais prefeitos. As administrações municipais também não passaram pelo teste. O pior desempenho dos prefeitos é na geração de empregos e desenvolvimento econômico, mostra a sondagem.
• Dos 800 entrevistados, 45,1% responderam no questionário que a performance dos prefeitos paranaenses nas áreas de saúde, educação e promoção social é ‘‘insatisfatória’’. Em obras de infra-estrutura, 44,8% acham que o desempenho dos prefeitos é ‘‘fraco, ruim ou péssimo’’.
De Curitiba, com redação e sucursais