Informe Folha








Perto de um acordo
A Procuradoria da Fazenda Nacional deu parecer favorável à compra, pela União, dos títulos podres adquiridos pelo Paraná, através da Banestado Corretora, do Estado de Pernambuco, em 1996. A informação é do secretário da Fazenda, Giovani Gionédis, que esteve em Brasília na última quinta-feira. Segundo o secretário, semana que vem finalmente o Paraná assina o acordo que livra o Estado de um ‘mico’ de R$ 139 milhões. Os títulos emitidos por Pernambuco não são resgatáveis, razão pela qual a União comprometeu-se a trocar os papéis do Paraná – sem valor – por títulos federais bons. Gionédis acredita que assim como foi com Pernambuco, o Estado tem condições de negociar na Secretaria do Tesouro Nacional (STN) os outros títulos podres que detém, algo em torno de R$ 450 milhões. Papéis emitidos por Santa Catarina, Alagoas e pelas cidades paulistas de Osasco e Guarulhos.



Cobrança
O ministro do Esporte e Turismo, Rafael Greca, ficou furioso com o comando do PFL pelas declarações veiculadas pela Agência Estado dando conta que, para o senador Jorge Bornhausen, o ministro vai ter de se ‘safar’ sozinho da crise que ronda a sua pasta.
Apoio mantido
A ‘rodada-de-baiana’ surtiu efeito. A executiva nacional negava ontem, por telefone, o fim da cumplicidade e reafirmava que o PFL, mais do que nunca, está unido em solidariedade ao ministro do Paraná.
Não procede
Greca foi mais fundo e disse que a declaração dada como sendo de Bornhausen é ‘falsa’. ‘‘Ao ler os jornais, ele (Bornhausen) pediu ao senhor Saulo Queiroz, da direção nacional do partido, que desmentisse o fato. Não ficou só nisso: com a sua costumeira fidalguia telefonou-me para comunicar seu desagrado com a falsa notícia’’, rebateu Greca.
Campanha
O presidente da Assembléia, Nelson Justus (PTB), conclamava ontem os aliados do governo Lerner a manifestar apoio irrestrito ao ministro, em mais um momento difícil. João Elísio Ferraz de Campos, o presidente estadual do PFL, também arrebanhava apoios em solidariedade a Greca.
‘Jet leg’
Lerner não deu expediente no Palácio Iguaçu. Chegou ontem da viagem a Paris. Acompanhado da comitiva que conferiu com ele a assinatura de protocolo entre o Paraná e a montadora Renault, para a fabricação de pick-ups em São José dos Pinhais.
Desafio
Cida Borghetti, mulher do deputado federal Ricardo Barros (PPB) e coordenadora do escritório do governo em Brasília, fez um desafio dia desses a João Stédile, o coordenador nacional do MST. Convidou o líder sem-terra para conhecer o projeto Vilas Rurais. O convite foi lançado durante palestra de Stédile ao curso de especialização em políticas públicas, do qual Cida é aluna. Stédile disse que das 500 vilas existentes, só 80 funcionam.
Plano plurianual
Renato Vianna (PMDB-SC) destrinchou ontem em Curitiba o PPA do governo federal. O plano plurianual, segundo seus cálculos, prevê investimentos de R$ 56 bilhões em quatro anos. O deputado, que esteve em Curitiba a convite do senador Roberto Requião e da Federação do Comércio, faz palestra semelhante hoje em Cascavel. Hermes Parcianello, o ‘Frangão’, será o cicerone.
Nacionalização
Para Requião, o trabalho de Renato Vianna – coletar sugestões nos Estados – funciona como uma espécie de nacionalização do PPA de Fernando Henrique. Segundo o senador, o projeto precisa de adequações, já que foi elaborado por uma empresa inglesa, contratada pelo governo federal.

Manobras radicais
Alex Canziani (PSDB) faz manobras radicais hoje. O deputado federal participa de uma regata no Litoral, em comemoração ao aniversário do Iate Clube de Caiobá. O presidente da Federação Paranaense de Vela e Motor, Mário Abaggi, comandante do barco que vai transportar o deputado, certificava-se ontem que a embarcação comporta os mais de 100 quilos de Canziani.
Comitê de apoio
O general paraguaio Lino Oviedo tem um fã-clube em Curitiba. Seus partidários criaram um site na Internet para difundir os comunicados do general, no endereço http://cbsparaguai.cjb.net. O lançamento do site foi simultâneo nos Estados Unidos. Fernando Marques responde pela página do ‘Comitê Brasileiro de Solidariedade ao Paraguai’.
Doação
As prefeituras de Rio Branco do Sul e Itaperuçu receberam em boa hora doação de R$ 90 mil da Cimento Rio Branco, para investimentos em trabalhos voltados a crianças de zero a 14 anos. Os cheques foram repassados anteontem pelo diretor da Unidade de Negócios Sul do Grupo Votorantim, Mario Fontoura.
Em Paris
A secretária da Administração, Maria Elisa Paciornik, embarca hoje para Paris. Ela vai discutir com a prefeitura da região de õle de France convênio de cooperação técnica nas áreas de urbanismo, transporte e segurança. A negociação de Maria Elisa com os franceses começou em 1998 e está em fase final. O prefeito Pierre Duport esteve no Paraná em abril do ano passado para definir os termos da parceria.
Certidões negativas
O Tribunal de Contas do Paraná vai liberar 2.900 certidões negativas para associações de pais e mestres de escolas municipais e estaduais, a pedido da secretária da Educação, Alcyone Saliba. A certidão negativa é indispensável para que as APMs recebam recursos públicos e só será entregue para as entidades que estiverem em dia com o TC até 1998.
Perguntinha
O pedido do prefeito Antonio Belinati (PFL) ao técnico Wanderley Luxemburgo para que a Seleção jogue melhor e consiga a vaga para as Olimpíadas vai ser atendido?

Vapt-Vupt
• O senador Osmar Dias (PSDB) requisitou junto à Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado a convocação do ministro dos Transportes, Eliseu Padilha, para que o mesmo preste esclarecimentos sobre o Programa de Privatização e Tarifas de Pedágio.
• Na lista dos convidados estão ainda os secretários estaduais de Transportes, representantes do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER), da Associação Brasileira das Concessionárias de Rodovias, e ainda da Confederação Nacional dos Transportes.
• A capital da Austrália não é Sydney como informou esta coluna ontem, mas Canberra. Sydney é uma das principais e maiores cidades daquele país, razão pela qual, será sede das Olimpíadas.
De Curitiba, com redação e sucursais