Heróis anônimos


Em linda mensagem ao ´povo brasileiro,  o papa Francisco disse:” Quantos heróis de todos os dias, de todas as horas, que se expõem para curar essa pandemia”. Mencionando ainda aqueles que tudo fazem para evitar o colapso dos meios essenciais para a sobrevivência da população. Causou  profunda consternação ao mundo ver aquele homem, vestido de branco, subindo as escadarias do Vaticano, onde foi, ao lado do crucifixo santo, abençoar toda a humanidade concedendo a benção “Urbi et Orbi”. Essas imagens falam mais alto, a fim de que o Deus Misericordioso tenha pena daqueles que estão sem assistência, dos que mesmo assistidos morrem sem a possibilidade de ter um remédio para tentar aliviar o extremo sofrimento naquela hora vital. Apesar do número, sempre aumentando dos mortos pelo vírus, alguns ainda duvidam da existência dele.  Será que tem razão o ex-ministro Mandetta quando disse: “´Parece que os brasileiros jogaram a toalha e já não se importam se vão pegar o vírus ou não”. Ainda bem que esses heróis anônimos continuam com a sua cruzada de grandeza, de amor ao próximo, promovendo e provendo necessidades vitais da sociedade, surpreendida diante do mal que nos abateu. A imprensa, sempre atenta e obsequiosa, procura informar e ensinar a população em todos os caminhos que devem seguir para evitar o temido contágio. Merecem todo o respeito e a mais calorosa admiração, esses “cruzados da esperança” que, apesar das imensas dificuldades e da precariedade dos meios de que dispõem, suportam, sem cessar, a travessia do deserto árido, das trevas severas e do tremendo e obscuro futuro que a humanidade inteira se pergunta: “Como surgiu tudo isso?"

Servio Borges da Silva (advogado) Londrina       


MEMÓRIA

1 de agosto de 2018

Moradores do jardim Santa Rita relatam tremores no bairro 

 



Moradores do jardim Santa Rita (zona oeste de Londrina) relataram que sentiram tremores no bairro, por volta das 17h30 desta quarta-feira. A dona de casa Regina Paula Martins Rezende Prado contou que "Foi uma coisa estranha, um tremor de balançar mesmo, não o suficiente para gerar pânico, mas ainda assim foi preocupante." O técnico em sismologia do Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo, José Roberto Barbosa, afirmou que não há como identificar imediatamente o que ocorreu, porque os dados não podem ser extraídos automaticamente.  Não é a primeira vez que moradores relatam tremores em Londrina. Vários abalos sísmicos foram registrados desde dezembro de 2015, principalmente na zona leste                                          



Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo