OPINIÃO DO LEITOR -

Eleições no Brasil só em 2022!


Adriana de Cunto - Grupo Folha
Adriana de Cunto - Grupo Folha

 A surpreendente decisão do presidente da câmara federal de ser favorável a utilização dos 2,5 bilhões do fundo partidário serem utilizados no combate ao coronavírus nos dá a certeza que não teremos eleições em 2020. Vejam: a maioria dos brasileiros só confia na minoria dos políticos sendo um dos menos confiáveis o Rodrigo Maia. O seu histórico político nos dá condições de dizer que ele já iniciou a sua campanha para concorrer à presidência da república em 2022.  Essa liberação de verba para o combate ao coronavírus vai render muitos votos ao Maia, o qual estará confortável junto aos políticos que concorrerão às eleições, visto que com certeza, “ele” vai ser um dos responsáveis pela criação de um novo fundo partidário. 

 Adoniro Prieto Mathias (comerciante) Londrina


Como lidar com o isolamento 

 A população brasileira está sendo solidária com as recomendações de isolamento necessário para contenção da epidemia do coronavírus. Por outro lado, devemos analisar alguns fatos inerentes a essa paralisação. Faz-se necessário um prazo e medidas para amenizar as consequências causadas pelas medidas tomadas. Prazo, porque não é possível paralisar atividades produtivas por tempo indeterminado, pois isso resultaria em falência e fechamento de empresas, desabastecimento. Vendo o lado dos empregados, as empresas não teriam outra solução, a não ser demitir, poucos são os empresários que podem utilizar-se de férias coletivas. Diante desse quadro complexo, sim, temos que ter prazo para o fechamento das empresas, sim, temos que ter medidas para proteção das empresas, a lida com seus fornecedores, ex. se o fechamento for de 30 dias, prorrogar todos os fornecedores para 60 dias, dando fôlego às empresas. No caso dos empregados desamparados, deve haver uma solução rápida de auxílio, pois, não sendo feito isso, com certeza, teremos uma convulsão social. Pois é meus amigos, teremos que buscar recursos onde estiver disponível, até nos fundos eleitorais de suas excelências. Caso você seja funcionário público, comece a se preocupar com os mais carentes que movimentam a economia, pois pode ficar sem seus pagamentos. 



 Yochiharu Outuki (engenheiro agrônomo) Itambaracá

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias