|
  • Bitcoin 150.538
  • Dólar 4,9314
  • Euro 5,2113
Londrina

Opinião

m de leitura Atualizado em 06/05/2022, 10:53

EDITORIAL: Conscientização e punição

Entre janeiro e abril deste ano, Londrina contabilizou 861 acidentes de trânsito, uma média de sete registros por dia

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 06 de maio de 2022

Folha de Londrina
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

A violência no trânsito faz parte da rotina do londrinense. Não é difícil verificar essa constatação. Quem circula pelas ruas e avenidas da cidade precisa estar atento para não ser vítima. A situação é traduzida em números, de acordo com levantamento divulgado pela CMTU (Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização). 

Entre janeiro e abril deste ano, Londrina contabilizou 861 acidentes de trânsito, uma média de sete registros por dia. É uma quantia bastante significativa. O dado positivo é que o número é quase 11% menor do que o registrado no mesmo período de 2020.  

Nos quatro primeiros meses de 2022, 18 pessoas morreram no trânsito londrinense, duas a menos que no ano passado. Este ano as vítimas foram 12 homens e seis mulheres.   

O total de vítimas caiu de 1.124 (2021) para 1.019 (2022). Entre as vítimas fatais, sete eram motociclistas, outras sete eram motoristas ou passageiros de carros e quatro foram atropeladas. 

“Considerando que neste ano tivemos a volta do serviço normal e do movimento da cidade após a pandemia (de coronavírus) a redução foi positiva. Tivemos mais veículos circulando e menos ocorrência de óbitos. Estamos com blitze orientativas e motivadoras para que continuem respeitando a sinalização”, avaliou o diretor de Trânsito da CMTU, Sérgio Dalbem.  

O balanço também mostra que de janeiro e abril foram expedidas 57.796 multas pelos radares fixos e móveis 

Esse tem sido o caminho escolhido pela companhia: aliar punição e educação. Um exemplo disso foi uma blitz realizada em frente ao Parque de Exposições Ney Braga, na manhã desta quinta-feira (5), para conscientizar motoristas e motociclistas. 

A iniciativa da CMTU em parceria com a PRF (Polícia Rodoviária Federal) e a PM (Polícia Militar) serviu para punir, uma vez que os condutores que estavam com a documentação irregular sofreram as sanções previstas na legislação. Já aqueles que tinham tudo em dia e não foram multados no último ano acabaram premiados. Os motociclistas receberam um kit com camiseta, antena corta-pipa e álcool em gel. A ação faz parte da programação do Maio Amarelo, campanha nacional contra a violência no trânsito lançada nesta semana. 

Obrigado por acompanhar a FOLHA!