|
  • Bitcoin 105.856
  • Dólar 5,1827
  • Euro 5,4117
Londrina

Opinião

m de leitura Atualizado em 07/06/2022, 09:30

EDITORIAL - Voto consciente e mudança política

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 02 de junho de 2022

Folha de Londrina
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) atualizou os dados sobre eleitores brasileiros e o cenário de Londrina mostra que houve crescimento de 4,2% do eleitorado local em relação às últimas eleições gerais de 2018. Naquele ano, estavam aptos a votar 372.464 pessoas. Atualmente, segundo o TSE, o número de cadastros é de 388.379.  Em 2020, nas eleições para prefeito e vereadores, Londrina tinha 375.072 eleitores aptos ou 13.307 títulos de eleitores a menos que agora em 2022. 

A surpresa veio por conta do número de novos registros de jovens que não têm obrigação de votar, aqueles com idade de 16 e 17 anos. O número chegou a 3.069  para outubro de 2022. Já em 2018, nas últimas eleições para presidente, eram 1.607 jovens nessa faixa etária, ou seja, um aumento de 90,4%, bem acima da proporção do eleitorado geral que foi de 4,2%. 

No Paraná também cresceu de forma exponencial o eleitorado de 16 e 17 anos em 76%. Eram 70.771 em 2018 contra 125.079 neste ano.  Já a proporção de eleitores em geral que votam no estado cresceu 3,4% em quatro anos.

A boa adesão da população abaixo de 18 anos ao registro para votar em 2022 se deve, com certeza, a campanhas em redes sociais e nos veículos de comunicação, realizadas principalmente pelo TSE e celebridades, chamando os jovens a votar. Foi feito um esforço para divulgar o prazo para regularização do título, principalmente para aqueles que votam pela primeira vez. Neste ano serão escolhidos os próximos presidente, governador (a),  senadores , deputados (as) federais e estaduais.  

As mulheres aptas a votar continuam sendo maioria, somando 54,37% do total ou 211.177 eleitoras em Londrina. O Paraná segue a proporção com mulheres representando 52,66% ou 4.346.538  eleitoras contra 47,34% dos homens ou 3.907.757. 

Leia mais:  TCU recebe-relatorio-tecnico-sobre-pedagios-do-parana-feito-pela-ufpr

Essa curva ascendente de eleitores (tanto com idade abaixo de 18 anos quanto da população em geral) deveria levar a sociedade a refletir mais sobre o papel do voto e a importância do cidadão se envolver mais na vida política do país. Quando convocados, os mais novos atenderam ao chamado rebatendo a velha ideia de uma juventude alienada. Fato bastante positivo. Espera-se, agora, que os debates não fiquem limitados ao ambiente das redes sociais, mas que os eleitores, independente da idade, busquem informações sobre as demandas da comunidade onde vivem e conheçam os candidatos que melhor representam suas ideias e anseios.

Em outras palavras, que votem com consciência, de forma conectada com a realidade que ele espera do país e do estado, lembrando que ao votar, o eleitor dá ao político uma carta autorizando-o a agir em seu nome. 

Obrigado por ler a FOLHA!

Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1