EDITORIAL - Um dia para valorizar a vacinação


Folha de Londrina
Folha de Londrina

Instituído como Dia Nacional da Imunização, o 9 de junho nunca foi tão festejado quanto em 2021. Nesse ano, a população mundial começou a receber as doses da vacina mais desejada de todos os tempos, contra a Covid-19, que matou no Brasil quase 500 mil pessoas. 


A data foi instituída no país para lembrar à sociedade a importância da vacinação, uma forma extremamente eficaz de combater doenças que acometem diversos públicos, como caxumba, sarampo, HPV, gripe, entre outras.


 O Brasil é reconhecido internacionalmente por ter um dos melhores e mais eficazes programa de vacinação do planeta, com um Calendário Nacional de Vacinações que mantem gratuitamente um leque de vacinas anuais para proteger pessoas de todas as idades. A invenção dos imunizantes significou uma revolução na saúde pública.


Apesar da vacina contra a Covid-19 ser objeto de desejo de cidadãos do mundo todo, pesquisas mostram que a cobertura vacinal no Brasil, que já vinha em queda nos últimos anos, despencou ainda mais em 2020. Isso pode acarretar risco de novos surtos de doenças preveníveis, como é o caso do sarampo, que tinha sido erradicado por aqui e voltou a circular em 2018 após uma queda na cobertura da vacina tríplice viral. 


Dados analisados pelo Ieps (Instituto de Estudos para Políticas de Saúde), com base em informações  do Ministério da Saúde atualizados até o dia 4 de abril último, mostram que menos da metade dos municípios brasileiros atingiu a meta estabelecida pelo Plano Nacional de Imunizações para nove vacinas, entre elas as que protegem contra hepatites, poliomielite, tuberculose e sarampo.


Voltando à imunização contra a Covid-19, o processo caminha lentamente, mas avança e é importante que as pessoas façam seus cadastros e recebam as duas doses do imunizante.


Mas é importante que a população imunizada com as duas doses continuem tomando os cuidados para evitar a proliferação do coronavírus, usando máscara, álcool em gel e fazendo o distanciamento social conforme preconiza a OMS (Organização Mundial de Saúde). 


Não deixe de se vacinar e não descuide da vacinação de seu filho. Procure o posto de saúde mais próximo de sua casa e verifique se você e sua família estão com a carteirinha em dia. 


A FOLHA deseja saúde a todos os seus leitores!

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo