|
  • Bitcoin 122.355
  • Dólar 5,0950
  • Euro 5,2469
Londrina

Opinião

m de leitura Atualizado em 27/07/2022, 00:05

EDITORIAL - Todos contra o vandalismo

A programação de férias do planetário precisou ser suspensa por conta da ação de criminosos que furtaram fios de cobre

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 27 de julho de 2022

Folha de Londrina
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

A população cobra muito do poder público, e está certa em fazê-lo, quanto ao fornecimento de infraestrutura e melhoria no funcionamento de vários equipamentos de educação, saúde, assistência social, entre outros. A Folha de Londrina apoia esse movimento da sociedade em cobrar eficiência, controle de gastos, lentidão em concluir obras. Mas e quando esse serviço existe, é de qualidade e o próprio cidadão destrói, estraga ou rouba o bem comum? É, no mínimo, frustrante e revoltante.

A Folha de Londrina vem denunciando com frequência casos de vandalismo ou furtos em entidades, atos criminosos que impedem a continuidade de serviços que deveriam garantir bem-estar, educação e saúde para toda a comunidade.

Nesta terça-feira (26), o jornal trouxe reportagem sobre o belíssimo trabalho realizado no Planetário de Londrina e as ações que foram  realizadas no período de férias, educando, entretendo, divertindo e conscientizando adultos e crianças.

Mas neste mesmo dia, a programação de férias do planetário, situado à rua Rua Benjamin Constant, no centro de Londrina, precisou ser suspensa  por conta da ação de criminosos que furtaram fios de cobre e danificaram os aparelhos de ar-condicionado para levarem peças. Visitas escolares que estavam programadas para os próximos dias também foram canceladas. 

O planetário é um roteiro que integra a formação de estudantes de Londrina, região e também é aberto ao público em geral. Os filmes e documentários exibidos exploram temas que fascinam pessoas de todas as idades como os planetas do Sistema Solar, movimentos da Terra (rotação e translação), as estações do ano, constelações, evolução estelar, buracos negros e o Big Bang, por exemplo. 

Trata-se de um projeto de Extensão da Universidade Estadual de Londrina que integra o Museu de Ciência e Tecnologia da UEL. O prédio foi construído pela prefeitura em 1992 e passou por uma reforma em 2005. 

O vandalismo é uma das maiores provas de que a sociedade precisa crescer muito quando o assunto é educação e cidadania. Há chances de que as pessoas que furtaram fios de cobre do planetário tenham filhos ou sobrinhos em idade de estudar sobre planetas, sistema solar e tantos outros assuntos tão bem abordados pelos professores que atuam no local. 

É o dinheiro do cidadão, de seus impostos, que vai pagar esses consertos. Por isso mesmo é necessária uma atitude mais vigilante da população em relação aos atos de vandalismo. Chamar a polícia ao perceber sinal de depredação e mostrar que se importa, ajudando a cuidar do que é público, é uma atitude necessária. 

Obrigado por ler a FOLHA!