|
  • Bitcoin 147.657
  • Dólar 4,8786
  • Euro 5,1458
Londrina

Opinião

m de leitura Atualizado em 17/03/2022, 18:44

EDITORIAL - O custo da desinformação

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 18 de março de 2022

Folha de Londrina
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

A flexibilização das medidas de restrições para a Covid-19 começa a avançar mais a partir do declínio da curva de óbitos por Covid-19  e também da queda da média de casos da doença no país. No Paraná, o fim da exigência do uso de máscaras de proteção em ambientes abertos é uma prova da confiança das autoridades da área de vigilância sanitária no recuo do novo coronavírus no Brasil. 

Mas essas boas novas não devem significar baixar a guarda. A secretaria de Saúde do município de Londrina percebeu uma baixa adesão num contexto geral de vacinação, na opinião do titular da pasta, Felippe Machado, devido à melhora nos quadros da pandemia e pelo fato da cobertura vacinal estar próxima de 90%. Segundo Machado, hoje, sobram cerca de 700 vagas para vacinação. 

Mas a prefeitura ressalta que embora os números estejam melhorando, não se pode descuidar dos prazos de vacinação. Tanto que a secretaria de Saúde vai realizar uma ação no sábado (19) para vacinação contra a Covid-19 de crianças e adolescentes de cinco a 17 anos sem necessidade de  agendamento e nem ter cadastro prévio aprovado. 

O "mutirão" será feito em quatro locais, das  8h às 17h: as UBS (Unidades Básicas de Saúde) do Panissa e Padovani, nas zonas oeste e norte, respectivamente, e as escolas municipais Maria Cândido Peixoto, no Santa Fé, zona leste, e Professora Tereza Canhadas Bertan, no União da Vitória, sul. 

A meta é vacinar, pelo menos, duas mil pessoas nestes locais no sábado. Segundo o secretário municipal de Saúde, os pontos foram escolhidos a partir da necessidade observada em levantamento feito pela pasta e pela secretaria municipal de Educação. 

“Com o retorno às aulas percebemos que no dia a dia algumas crianças não tinham se vacinado, seja por dificuldade de acesso, falta de CPF. Os locais definidos têm alta vulnerabilidade, vimos a dificuldade de locomoção da população para outros lugares e até mesmo dificuldade de conexão com a internet”, destacou. Na região norte, um ônibus ficará à disposição no jardim São Jorge e na ocupação do Aparecidinha para levar os moradores até o posto de saúde do Padovani. 

Londrina já vacinou com uma dose 22.472 crianças e 35.992 adolescentes. A cobertura vacinal em relação ao número de cadastrados é de 94,5% entre os londrinenses de 12 a 17 anos e de 71% entre aqueles de cinco a 11 anos. 

Para muitos especialistas, a vacinação de crianças e adolescentes ainda é um desafio, devido, principalmente à divulgação de notícias falsas sobre a eficácia do imunizante, causando insegurança em pais e responsáveis. Infelizmente,  o  custo da desinformação para a saúde pública é alto e pode matar. 

Obrigado por acompanhar a FOLHA!