|
  • Bitcoin 104.760
  • Dólar 5,1827
  • Euro 5,4117
Londrina

Opinião

m de leitura Atualizado em 21/01/2022, 11:00

EDITORIAL - É preciso garantir ampliação da pista do aeroporto

Há décadas Londrina aguarda melhorias na infraestrutura e serviços prestados pelo aeródromo

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Folha de Londrina
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

 A ampliação da pista do Aeroporto Governador José Richa e as melhorias do terminal são uma antiga reivindicação dos londrinenses. É consenso que o potencial de desenvolvimento econômico da região metropolitana passa por um aeroporto moderno e com infraestrutura condizente com a importância que Londrina representa para o Paraná. 

No dia 20 de outubro de 2021 foi formalizado pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) o contrato para concessão do aeroporto de Londrina para o Grupo CCR. O leilão que definiu a CCR como a futura administradora do Aeroporto Governador José Richa foi realizado em abril de 2021 e, pelo acordo, o município receberá, ao longo dos anos, investimentos na ordem de R$ 273 milhões, aplicados na melhoria da infraestrutura do aeródromo. 

Outros oito aeroportos foram desestatizados na Região Sul: São José dos Pinhais, Foz do Iguaçu, ambos no Paraná; Navegantes e Joinville, em Santa Catarina; Pelotas, Uruguaiana e Bagé, do Rio Grande do Sul. 

No caso do aeroporto de Londrina há um ponto que preocupa lideranças locais: o edital do leilão não deixa explícito que a concessionária será responsável por fazer a obra de ampliação da pista de pouso e decolagem, melhoria estratégica para o futuro da cidade. 

Infraero e prefeitura de Londrina têm um Acordo de Cooperação Técnica anterior ao início do processo de desestatização em que o município ficou responsável por arcar com os custos das desapropriações dos terrenos vizinhos para a ampliação da pista e a Infraero se encarregaria da construção. Foram desapropriados 107 terrenos no entorno do terminal. 

Lideranças empresariais e políticas de Londrina estão se movimentando para garantir no contrato ainda a ser assinado entre Anac e concessionária a realização da obra ou então que a Infraero se responsabilize pela construção. 

Uma primeira vitória foi alcançada pelas lideranças. O ministro do TCU (Tribunal de Contas da União) Jorge Oliveira deu parecer favorável à representação feita pelo deputado federal Filipe Barros (PSL) para que a Infraero cumpra o acordo com o município. 

Os londrinenses têm nítidos na memória todos os problemas que enfrentou - e ainda enfrenta - em relação ao cancelamento de voos em dias de chuva e fechamento constante do aeródromo. Garantir as melhorias reivindicadas por décadas é importante por segurança, bem-estar, conforto e desenvolvimento econômico do Norte do Paraná. Para tanto, é preciso que a sociedade se mantenha atenta e vigilante no sentido de que as benfeitorias já conquistadas não sejam perdidas. 

Obrigado por acompanhar a FOLHA!