|
  • Bitcoin 141.409
  • Dólar 4,7700
  • Euro 5,1201
Londrina

EDITORIAL

m de leitura Atualizado em 01/05/2022, 18:51

Combater o desemprego deve ser prioridade

Apesar da melhora, de acordo com o IBGE, ainda existem cerca de 13,9 milhões de desempregados no país

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 02 de maio de 2022

Folha de Londrina
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Reduzir o desemprego deve ser uma das principais preocupações de todas as esferas governamentais do país. 

Imagem ilustrativa da imagem Combater o desemprego deve ser prioridade Imagem ilustrativa da imagem Combater o desemprego deve ser prioridade
|  Foto: iStock
 

A taxa de desemprego no Brasil caiu para 11,1% no quarto trimestre de 2021. O recuo de 1,5 ponto percentual representa 1,4 milhão de pessoas a menos sem emprego na comparação com o trimestre anterior, quando essa taxa chegava a 12,6%.

Apesar da melhora, de acordo com o IBGE, ainda existem cerca de 13,9 milhões de desempregados no país, contingente que ficou estável frente ao ano anterior.

Em ano eleitoral, a geração de empregos está na agenda de todos os candidatos. Em atos realizados por todo o país neste feriado de 1º de Maio, milhares saíram às ruas para demonstrar apoio aos candidatos que julgam ter a melhor solução para o gargalo.

Nessa hora, é fundamental que os eleitores analisem os planos de governo dos candidatos para eleger aquele que apresentar um planejamento realmente efetivo para o desenvolvimento da economia e, por conseguinte, a geração de empregos.

Chamou atenção também a missa de bênção aos fiéis que compareceram com a carteira de trabalho à missa na paróquia São José Operário, no Jardim Leonor, na zona oeste de Londrina. 

Em tempos de inflação nas alturas e difícil acesso ao mercado de trabalho, muitos recorrem à fé para conseguirem o tão sonhado emprego. Quem conseguiu enfim ter a carteira assinada também procurou à igreja para agradecer pelo contrato assinado.

Se reduzir o desemprego no país depende de soluções macroeconômicas, no cenário regional algumas soluções mais imediatas podem ajudar a amenizar o problema.

Em entrevista à FOLHA, o economista Marcos Rambalducci expôs que a queda na participação da indústria no PIB (Produto Interno Bruto) de Londrina traz consequências indesejadas para a economia da cidade, entre elas o desemprego e a falta de vagas de emprego de qualidade.

Em duas décadas, a fatia da indústria caiu de 23% para 15% na cidade. Neste período, Londrina assistiu à consolidação de parques industriais nas cidades vizinhas e pouco se atentou para os efeitos desse fenômeno.

A reposta deve vir após a inauguração da Cidade Industrial de Londrina, que promete reverter esse deficit, porém as obras sofrem com atraso.Diante do cenário que se apresenta, o projeto deve ser tratado como prioridade absoluta.

Obrigado por ler a FOLHA!