A vingança de Guedes


Opinião do Leitor
Opinião do Leitor

A vingança de Guedes 

O ministro da economia Paulo Guedes, que mais grita do que entrega suas promessas, irado com a desidratação de R$ 76 bilhões que sofreu no Senado, a reforma da Previdência, agora, como vingança, diga-se, ingênua, diz que vai compensar “cada bilhão perdido” nesta reforma, retirando recursos do “pacto federativo”, que prevê mais verbas aos Estados e Municípios. Ora, ministro, esse tal pacto federativo que ninguém ainda viu ainda o projeto, vai depender para sua aprovação 100% da boa vontade dos governadores, dos 5.700 prefeitos, e principalmente do Congresso. É na realidade um delírio de Paulo Guedes, achar que com sua ameaça vai conseguir aprovar esse pacto, e talvez nenhum outro projeto do governo que enviar para o Parlamento. É bom lembrar que a imprensa, que o Bolsonaro odeia, já vinha noticiando que os senadores estavam insatisfeitos com o Planalto, e, esperavam, para antes da votação em plenário da reforma da Previdência, um gesto de boa vontade com relação aos pleitos dos parlamentares. E o governo, soberbo, fez que não ouviu, e, infelizmente, resultou na desidratação dos R$ 76 bilhões... E neste momento que o País sangra PIB medíocre, 13 milhões de desempregados, sem saneamento básico, etc, o ministro, no lugar de buscar o diálogo republicano com o Congresso, prefere seguir o modelo incendiário de seu chefe Jair Bolsonaro, e fazer ameaças ao nosso Parlamento. Era só o que faltava!

PAULO PANOSSIAN (jornalista) - São  Carlos (SP)


Psicólogos para as pessoas



Um psicólogo para atender as pessoas em casa, hospital, em plantão da saúde. No meu entender iríamos usar bem pouco remédio. O povo em geral está estressado e não é capaz de se autoconhecer, pois há falta de espiritualidade na mente das pessoas. É necessário que as pessoas comecem a aprender a separar “espiritualidade de religião” pois é isso que está confundindo o povo, não adianta ser seguidor de uma determinada religião, pois isso é muito pouco para resolver problemas profundos familiares. Até porque existem muitas organizações religiosas que não ensinam a diferença da espiritualidade para a espírita, tem muita diferença e na verdade tem algumas religiões que se tornaram prejudicial à saúde mental de seus fiéis e não explicam a eles suas verdadeiras origens, falam demais sobre casos da antiguidade, e falam pouco nas atuais.



SEBASTIÃO CALMEZINI (comerciante) - Londrina

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:

Últimas notícias

Continue lendo