100% Paraná. Um governo social-democrata

Luiz Carlos Hauly
O Partido da Social Democracia Brasileira demonstrou um excelente crescimento nos últimos anos no Paraná, ampliando suas forças e amealhou aliados e correligionários, antes de tudo militantes de um projeto político para todos os paranaenses.
Desde a fundação do partido em 1988 e as campanhas presidenciais de Mário Covas (1989) e as duas vitoriosas de Fernando Henrique Cardoso (1994 e 1998), o PSDB cresceu vertiginosamente. E hoje quando realizamos nossa Convenção Estadual estaremos difundindo a marca ‘‘Construindo o caminho da vitória’’.
De apenas um candidato a prefeito e alguns poucos candidatos a vereador em 1988, decorridos 12 anos, apresentaremos, neste ano de 2000, projetos inovadores para as administrações municipais em todas as cidades do Paraná.
Não haveremos de esquecer aqueles que militaram para o crescimento do partido. Não esqueceremos os quadros importantes do partido em nível nacional, mas utilizaremos muito mais, o militante, o jovem, a mulher e o trabalhador como ferramenta para exercer a construção de um governo social-democrata no Paraná, a partir de 2002.
Iniciamos a caminhada para um governo sério, austero, digno dos paranaenses. Ser social-democrata é não esquecer as posturas transparentes e honestas nas administrações municipais, estadual e federal. Não admitir a corrupção como forma ‘‘normal’’ de fazer e viver a política.
No PSDB ser honesto é qualidade número um. Indispensável quando administramos recursos de nosso povo. Assistimos envergonhados o carnaval de escândalos a que foi submetida a nossa população, que estupefata assiste ao desfilar de incontáveis casos de corrupção e roubo do dinheiro público.
É um contínuo de denúncias e corrupções. São prefeitos, governadores, vereadores, deputados e senadores, além do Judiciário e do Ministério Público, que enfrentam suas mazelas expostas ao povo.
A hora é dos homens e mulheres que estão ocupando a função pública de
exercerem a cidadania, escolherem qual o caminho. Manter o atual estado de coisas, do denuncismo e desconfiança, da ausência de credibilidade e do marasmo social em relação ao poder existente, é nivelar por baixo o exercício da política.
Não devemos deixar de expor o quanto entristece aos paranaenses ver a sua amada terra entregue a grupos políticos que primam pela ausência de escrúpulos e omissão.
Por quanto tempo aguentaremos a existência de um governo espetáculo, aquele que adora fatos explosivos, mas não conclusivos. Não há um único item do caderno de intenções do então candidato a governador, e hoje, ocupante pela segunda vez da cadeira no Palácio Iguaçu, que o tenha sido realizado a contento.
O PSDB não pode ficar insensível aos reclamos da sociedade para o reexame de consciência. Agora é hora de passarmos a limpo muito do que já escutamos. Cada tostão roubado, desviado, deixado de ser utilizado legalmente para o benefício da população deve ser investigado para que, apontados os culpados pela imoralidade, sejam colocados à disposição da condenação pelos instrumentos legais.
No PSDB estamos tranquilos pois haveremos de exigir o que é justo. Aqueles que roubam não são admitidos no partido. Aqui malufar não é verbo usado na gestão pública. Aqui fazemos, e muito bem, o dever de casa. Nossas metas para um governo sólido a partir da vitória em 2002 é realizar uma administração 100% Paraná.
Queremos 100% de pleno emprego, com mais saúde para nosso povo, segurança a todos os cidadãos, investimentos para os empreendedores paranaenses, garantia para a expansão de pequenas e médias empresas, honestidade na condução da administração pública, orgulho em sermos paranaenses e governar de cabeça erguida, com caráter na condução da vida pública. Um governo social-democrata.
LUIZ CARLOS HAULY, economista, deputado federal e 1º Secretário Nacional do PSDB, preside o Instituto Teotônio Vilela – Seção Paraná.