Assaí - A formação técnica é a opção escolhida por muitos jovens para entrar no mercado de trabalho. A Secretaria Estadual de Educação oferece mais de 1.600 vagas distribuídas em 36 diferentes cursos espalhados em 11 cidades do Norte Pioneiro. Pelo Senai foram disponibilizadas neste ano 1.292 vagas em nove cursos técnicos distribuídos em quatro cidades da região.
Para se matricular em um curso técnico o aluno precisa ter cursado ou estar cursando o ensino médio. A formação é a porta de entrada para a vida profissional. De acordo com o gerente dos Senais Londrina e Assaí, Almir Gaspar Schenfeld, 80% dos alunos terminam o curso técnico empregados. Conforme a diretora do departamento de Educação e Trabalho da Secretaria Estadual de Educação (Seed), Fabiana Cristina Campos, o trabalhador que tem formação técnica tem uma remuneração 25% maior do que aquele que tem apenas o ensino médio completo.
A escolha dos cursos que serão oferecidos nas cidades passa por uma rigorosa pesquisa que leva em conta a demanda do mercado e as características da região. Quando o curso é implantado pela Seed, além da análise socioeconômica são realizadas reuniões com a comunidade para ouvir a expectativa do prefeito, empresários e dos jovens em relação ao mercado de trabalho. "Este tipo de formação faz muita diferença na situação econômica dos municípios", afirma Fabiana. Ela acrescenta que hoje a situação do Brasil é de pleno emprego e o objetivo é aumentar o nível de escolaridade para que os jovens possam acessar vagas de trabalho de melhor qualidade e tenham possibilidade de crescimento.
Os cursos oferecidos pelo governo estadual são gratuitos. "São cursos de qualidade, bem estruturados com laboratórios, equipamentos e material bibliográfico específico", afirma Fabiana. A Secretaria Estadual de Educação possui 55 cursos profissionalizantes que são ofertados em mais de 60% das cidades do Estado. O gerente do Senai também esclarece que os cursos só começam a funcionar quando toda a estrutura necessária está montada. Os cursos do Senai têm custo, mas há programas do Governo Federal – como o Pronatec - que subsidiam a formação do aluno.
No ano passado houve uma redução de 5,6% do número de formandos em cursos superiores no Brasil e de acordo com Schenfeld, esta pode ser uma indicação de aumento na procura por cursos técnicos. "No Senai nós crescemos em quase 20% na oferta de matrículas do ano passado para este ano", destaca. Conforme ele, o mercado absorve muito bem a mão de obra formada pelo curso técnico e a formação rápida atrai o jovem de hoje que quer velocidade nos processos e conseguir ascensão profissional com mais rapidez. "O curso técnico tem uma duração menor e forma mão de obra qualificada", destaca.
O prefeito de Barra do Jacaré e presidente da Associação dos Municípios do Norte Pioneiro (Amunorpi), Edimar de Freitas Albonetti, explica que é importante investimento neste tipo de formação profissional. "O setor industrial da região está em crescimento e é preciso preparar os jovens para assumir cargos nas empresas que estão se instalando por aqui", destaca. Para Fabiana, a educação profissionalizante é um grande direcionador de desenvolvimento dos municípios. "Quanto mais jovens nós formarmos com senso crítico maior é a possibilidade de expansão da região", salienta.

Imagem ilustrativa da imagem Aqui tem capacitação