|
  • Bitcoin 118.704
  • Dólar 5,2124
  • Euro 5,3383
Londrina

MUNDO

m de leitura Atualizado em 18/07/2022, 17:19

Zelenski fala com Bolsonaro sobre exportação de grãos

Presidente ucraniano pediu apoio do líder brasileiro a sanções contra a Rússia

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 18 de julho de 2022

Folhapress
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

São Paulo - O presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, disse nesta segunda-feira (18) que discutiu com o brasileiro Jair Bolsonaro (PL) a importância das negociações para destravar a exportação de grãos do país de forma a, nas palavras dele, "prevenir contra a crise global de alimentos provocada pela Rússia". 

Sergei Supinsky/AFP/11-7-2022 

Em um tuíte, Zelenski declarou que informou Bolsonaro sobre a situação no front Sergei Supinsky/AFP/11-7-2022 

Em um tuíte, Zelenski declarou que informou Bolsonaro sobre a situação no front
Sergei Supinsky/AFP/11-7-2022 Em um tuíte, Zelenski declarou que informou Bolsonaro sobre a situação no front |  Foto: Sergei Supinsky/AFP/11-7-2022
 

 Bolsonaro havia dito, na quinta (14), que falaria com Zelenski nesta segunda. Segundo o presidente, ele apresentaria a solução para o fim do conflito. "Vou dar minha opinião a ele, o que eu acho. Eu sei como seria a solução do caso, mas não vou adiantar. Como acabou a guerra da Argentina com o Reino Unido em 1982? É por aí", disse à CNN Brasil. 

 O presidente se referia à Guerra das Malvinas, que completou 40 anos em abril e teve fim quando as forças argentinas se renderam aos britânicos, que tinham recebido apoio militar de aliados europeus e dos EUA. Não está claro, porém, se a rendição é a sugestão que o presidente brasileiro faria a seu homólogo ucraniano. 

LEIA TAMBÉM 

+ Putin cita 'efeitos colossais' de sanções e diz que Rússia não pode ser isolada 

+ Zelenski compara momento a estopins de guerras mundiais 

 O ucraniano não comentou essa declaração. Em um tuíte, se resumiu a dizer que informou Bolsonaro sobre a situação no front. "Convoco todos os nossos parceiros para que se juntem às sanções contra o agressor", escreveu. 

 Esta foi a primeira vez que os dois líderes se falaram desde o começo da guerra – Bolsonaro esteve com Vladimir Putin em Moscou dias antes da invasão à Ucrânia e teve ao menos um telefonema com o russo. O presidente brasileiro e o Itamaraty já fizeram críticas à estratégia de sanções adotada pelo Ocidente para isolar o Kremlin. 

 A viagem e o encontro com Putin foram episódios conflituosos na agenda diplomática brasileira, com parceiros como os Estados Unidos criticando-os e agindo para tentar cancelá-los. O governo, porém, tem defendido neutralidade no conflito, entre outros motivos, devido à alta dependência de fertilizantes importados da Rússia. 

 Nesta semana, Rússia e Ucrânia devem voltar a ter rodadas de negociação, mediadas pela Turquia e pela ONU (Organização das Nações Unidas), para destravar a exportação de grãos. 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1