Viúva de Gucci é condenada a 26 anos Patrizia Reggiani, viúva do conhecido fabricante de objetos de luxo Maurizio Gucci, assassinado em 1995, foi condenada em apelação ontem a 26 anos de prisão pela Corte de Milão (norte da Itália). Em novembro de 1998, Reggiani foi condenada a 29 anos de prisão em primeira instância por ter ordenado a morte de seu ex-marido, de quem se havia separado em 1984 após doze anos de casamento. Durante o processo, o promotor pediu cadeia perpétua para a viúva, acusada de ter planejado o assassinato. Gucci, herdeiro da grife florentina, foi assassinado a 27 de março de 1995 com vários tiros em pleno centro de Milão. A viúva foi detida em 1997 após as confissões feitas por seus cúmplices.