Trotsky não obteve asilo na Grã-Bretanha O líder bolchevique Leon Trotsky recebeu quatro negativas das autoridades britânicas aos seus pedidos de asilo, antes de emigrar para o México, onde foi assassinado em 1940, segundo arquivos publicados ontem pela imprensa, 70 anos depois dos acontecimentos. O governo britânico rechaçou quatro pedidos de asilo apresentados por Trotsky entre 1929 e 1934. Essas recusas se deveram à vontade britânica de não provocar conflitos com o dirigente soviético Joseph Stalin, a quem Trotsky se opunha. O governo trabalhista da época ignorou os apelos de personalidades literárias como H.G. Wells e George Bernard Shaw a favor do revolucionário soviético.