Agência Estado
De Roma
Boris Nikolaievitch Yeltsin, líder da Rússia pós-comunista, nasceu no dia 1º de fevereiro de 1931 em Butka, Iekaterinburgo (ex-Sverdlovsk, ao sul dos Urais). Em 1955 é admitido como engenheiro no Instituto Politécnico dos Urais e passa a dirigir como mestre principal de obras uma empresa de construção.
Em 1961 entra para o Partido Comunista, mas somente a partir de 1968 dedica-se à política em tempo integral, passando de chefe de departamento a membro da secretaria e, em 1976, a primeiro secretário do Comitê do Partido da região de Iekaterinburgo.
Em 1985, depois da eleição de Mikhail Gorbachev para secretário geral do PC da União Soviética, é chamado a Moscou para dirigir o departamento de construção do Comitê Central e em dezembro desse ano é nomeado primeiro secretário do Comitê do Partido em Moscou.
No novo clima de ‘‘glasnost’’ instaurado por Gorbachev, Yeltsin torna-se conhecido graças à sua luta contra a corrrupção e os privilégios da liderança comunista.
Daí resultou o choque frontal com os conservadores e sua expulsão do Politburo em 1988. Mas nas primeiras eleições para o Congresso de Deputados do Povo da URSS, em março de 1989, Yeltsin é eleito com votação majoritária e pouco depois entra no Soviete Supremo (Parlamento).
Líder do bloco radical Rússia Democrática, Yeltsin é eleito deputado do Congresso do Povo da Federação Russa em março de 1990. No dia 29 de maio torna-se a presidente do Parlamento Russo e no dia 12 de junho de 1991 é eleito como o primeiro presidente da Federação Russa com 57% dos votos.
Declara-se abertamente contra o fracassado golpe de Estado de 19-21 de agosto de 1991 e ficou famosa sua foto em cima de um tanque falando ao povo para pedir a resistência.
Depois da dissolução da URSS e a formação da Comunidade de Estados Independentes (CEI), integrada por Rússia, Ucrânia e Bielo-Rússia, Yeltsin entra mais uma vez em confronto com os parlamentares conservadores quando defende o mercado livre.
No dia 21 de setembro de 1993, Yeltsin dissolve o Parlamento e os deputados respondem com uma revolta armada nos dias 3 e 4 de outubro, dominada com o bombardeio da Casa Branca e a prisão do vice-presidente da CEI, Alexander Rutskoi, e do chefe do Parlamento, Ruslan Jasbulatov (logo depois anistiados).
No dia 12 de dezembro de 1993 o novo Parlamento aprova uma Constituição que outorga plenos poderes ao presidente Yeltsin, reeleito em julho de 1996.