|
  • Bitcoin 103.629
  • Dólar 5,3359
  • Euro 5,5329
Londrina

Mundo

m de leitura Atualizado em 01/06/2022, 20:00

Reino Unido celebra os 70 anos do reinado de Elizabeth 2ª Reino Unido celebra os 70 anos do reinado de Elizabeth 2ª

Desde que assumiu o trono em 1952, a monarca acompanhou 14 primeiros-ministros britânicos

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 01 de junho de 2022

Folhapress
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Guarulhos, SP - Ao longo dos próximos quatro dias, mais de 200 mil eventos pulverizados por todo o Reino Unido celebram os 70 anos de reinado da monarca mais longeva do país, Elizabeth 2ª. De quinta-feira (2) a domingo (5), espera-se que a crise política e a do custo de vida sejam amortecidas temporariamente pelas celebrações em torno da rainha. 

(    Expectativa é que a crise política e a do custo de vida sejam amortecidas temporariamente pelas comemorações em torno da rainha (    Expectativa é que a crise política e a do custo de vida sejam amortecidas temporariamente pelas comemorações em torno da rainha
( Expectativa é que a crise política e a do custo de vida sejam amortecidas temporariamente pelas comemorações em torno da rainha |  Foto: Chris Jackson/POOL/AFP
 

 Elizabeth subiu ao trono em fevereiro de 1952, quando estava em viagem oficial ao Quênia, após a morte de seu pai, o rei George 5º. Foi somente em 2 de junho de 1953, porém, que a jovem de 25 anos foi coroada, em uma cerimônia televisionada na Abadia de Westminster – é a esta data que o feriado britânico dos próximos dias se refere. 

 Além dos desafios nacionais que o evento projeta apaziguar, há crises internas da própria família real. Estas, aliás, estarão expressas na sacada do Palácio de Buckingham, em Londres: no tradicional local de aparição da monarquia, estarão apenas a rainha e aqueles que têm funções públicas da realeza. Ficam de fora, portanto, o príncipe Andrew, o príncipe Harry e sua esposa Meghan, duquesa de Sussex. 

 Andrew, filho da rainha, envolveu-se em um escândalo de abuso sexual. Em fevereiro, ele assinou um acordo extrajudicial com Virginia Giuffre, mulher que o acusa de ter mantido relações sexuais com ela quando era menor de idade. Antes disso, porém, no final de 2019, ele já havia anunciado o afastamento da vida pública. 

 Já o príncipe Harry, neto da monarca, e Meghan Markle se retiraram de seus papéis reais em 2021 e se mudaram para os Estados Unidos. Meghan chegou a fazer acusações de racismo a membros da realeza durante entrevista à apresentadora Oprah Winfrey – Elizabeth 2ª disse que as denúncias seriam "levadas muito a sério". 

 As celebrações do Jubileu de Platina da monarca de 96 anos incluem eventos oficiais, como desfiles militares, atos religiosos e festas com famosos, mas também milhares de celebrações de rua, como piqueniques, idealizadas, muitas vezes, pelos próprios moradores. 

 O peso da monarquia na política do Reino Unido mudou, e o apoio tem caído entre os mais jovens, mas o grosso da população britânica é favorável à rainha. Pesquisa do jornal The Sun divulgada esta semana mostra que ela tem 91,7% de opiniões favoráveis, contra 67,5% para o príncipe Charles, o primeiro na linha de sucessão do trono.  

Desde que assumiu o trono, a rainha acompanhou 14 primeiros-ministros do Reino Unido. O primeiro foi Winston Churchill, que capitaneou o país durante a Segunda Guerra Mundial e, até hoje, é uma das figuras mais conhecidas da história britânica.  

Agora, Elizabeth acompanha a gestão de Boris Johnson, premiê envolto em uma crise política após participar de várias festas em Downing Street, a sede do governo, durante a pandemia de Covid. Desgastado politicamente, ele viu seu partido, o Conservador, perder força nas últimas eleições regionais e perdeu o apoio de correligionários.  

O Reino Unido assistiu à morte de mais de 178 mil cidadãos em decorrência da Covid desde o início da pandemia. A rainha chegou a ser infectada pelo vírus, em fevereiro. Informações oficiais diziam que ela teve apenas sintomas leves da doença.  

A saúde de Elizabeth 2ª, aliás, estará no centro das atenções. Em outubro passado, a monarca teve de permanecer em repouso e chegou a ser hospitalizada para realizar exames médicos. Desde então, ela enfrentou problemas de mobilidade e escasseou as aparições públicas. 

 Em meados de maio, por exemplo, foi substituída pelo príncipe Charles na cerimônia de abertura da sessão parlamentar, com a leitura do programa legislativo elaborado pelo governo para os próximos 12 meses. Aquela foi a primeira vez em 59 anos que Elizabeth não compareceu. Depois, porém, em prováveis imagens divulgadas para afastar rumores, foi a um evento hípico –a rainha ama cavalos– e a um evento com Tom Cruise. 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.