|
  • Bitcoin 102.839
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Mundo

m de leitura Atualizado em 08/03/2022, 19:39

Refugiados da guerra na Ucrânia já superam 2 milhões, diz ONU

A quantidade de deslocados equivale à população de capitais como Manaus e Curitiba

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 08 de março de 2022

Folhapress
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

São Paulo - A guerra na Ucrânia superou nesta terça-feira (8) a marca de 2 milhões de pessoas deslocadas apenas 13 dias após o início da campanha militar da Rússia. O número foi divulgado pelo Acnur, a agência da ONU para refugiados.  

Para efeito de comparação, a quantidade de deslocados equivale à população de capitais brasileiras como Manaus e Curitiba. Também corresponde a cerca de 4,5% de toda a população ucraniana. Segundo a ONU, a crise de refugiados na Ucrânia tem crescimento mais rápido na Europa desde a Segunda Guerra Mundial. O número de deslocados superou a marca de 1 milhão na quarta (2). 

Louisa Gouliamaki/AFP 

Refugiada ucraniana abraça a filha na fronteira do país com a Polônia Louisa Gouliamaki/AFP 

Refugiada ucraniana abraça a filha na fronteira do país com a Polônia
Louisa Gouliamaki/AFP Refugiada ucraniana abraça a filha na fronteira do país com a Polônia |  Foto: Louisa Gouliamaki/AFP
 

 Filippo Grandi, alto comissário da Acnur, disse que a continuidade da guerra pode deixar os refugiados em situação cada vez mais vulnerável. "Começaremos a ver pessoas sem recursos e sem conexões", afirmou. "Essa será uma situação mais complexa de gerenciar para os países europeus daqui para frente, e será necessário haver ainda mais solidariedade de todos na Europa", disse Grandi.  

Além da Polônia, que recebeu 1,2 milhão de ucranianos, Hungria (191,3 mil), Eslováquia (140,7 mil), Moldova (82,8 mil), Romênia (82 mil) e Rússia (99,3 mil) são outros países que acolheram refugiados.  

A Ucrânia tem aproximadamente 44 milhões de habitantes. Durante os conflitos, as forças do presidente russo, Vladimir Putin, têm sido acusadas de atingir alvos civis.  

Nesta terça, ao menos 21 pessoas - incluindo duas crianças –morreram durante bombardeio em Sumi. A cidade, localizada a 350 km ao leste de Kiev, tem sido palco de combates violentos há vários dias.  

Rússia e Ucrânia negociam a abertura de novos corredores humanitários para retirada de civis das zonas de conflitos. Também nesta terça, moradores de Sumi e Irpin (próxima a Kiev) começaram a deixar as cidades, de acordo com autoridades ucranianas. 

É a quarta tentativa para retirada de civis de áreas de confronto. Antes, a organização de corredores humanitários em cidades ucranianas, acordada na segunda reunião de negociações, fracassou devido à continuação dos ataques. 

 Na semana passada, os países da União Europeia chegaram a um acordo para conceder proteção temporária aos refugiados da guerra e seus familiares. Eles terão o direito de permanecer e trabalhar nos países do bloco por até três anos. 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1