Primeiro-ministro chinês adverte Taiwan Em discurso na abertura do Congresso Nacional do Povo (o Parlamento do país), o primeiro-ministro chinês, Zhu Rongji, voltou a advertir hoje Taiwan de que a China não ficará ‘‘sentada passivamente’’ se a ilha tomar medidas para tornar-se independente. A pressão chinesa está-se intensificando porque Taiwan terá eleições presidenciais no dia 18. Nenhum dos candidatos apóia a reunificação nos termos de Pequim e o favorito já chegou a defender a secessão.