Investigadores iemenitas encontraram materiais utilizados na fabricação de bombas em uma casa próxima ao porto de Aden. Segundo a polícia, dois homens que passaram vários dias na residência devem estar ligados à explosão do destróier norte-americano USS Cole na semana passada. Os homens foram oficialmente identificados apenas como árabes não-iemenitas. Entretanto, de acordo com fontes de segurança, que falaram ontem com a condição de seus nomes não serem revelados, os suspeitos são de origem saudita.
A casa foi revistada anteontem e estava repleta de material utilizado na montagem de explosivos. De acordo com as fontes de segurança, os homens chegaram ao Iêmen quatro dias antes da explosão. Não foi informado de qual país os suspeitos teriam vindo. Autoridades americanas acreditam que a bomba foi levada até o destróier por um pequeno barco e detonada em um ataque suicida.
Também ontem, os corpos de seis das 17 vítimas da explosão foram removidos do destróier, restando ainda cinco presos na fuselagem.