O juiz federal Gabriel Cavallo abriu processo contra dez policiais federais argentinos, entre os quais um destacado delegado, pela fuga em 17 de setembro de dois paraguaios supostamente envolvidos em um assassinato político em Assunção e de um assaltante argentino, que escaparam da delegacia central da Polícia Federal e ainda não foram encontrados. Os fugitivos são Luis Alberto Rojas e Fidencio Vega Barrios – suspeitos de participação no assassinato do ex-vice-presidente paraguaio Luis María Argaña em março do ano passado, e cuja extradição foi solicitada pela Justiça paraguaia – e do argentino Daniel Cabrera, integrante de uma conhecida quadrilha de assaltantes de bancos. O principal processado é o ex-superintendente de Segurança metropolitana, o delegado Roberto Galvarino – terceiro na hierarquia policial.