Ansa
De Assunção
Procurado pela Justiça paraguaia pelo assassinato do ex-vice-presidente Luis Argaña, o ex-general Lino Oviedo concedeu domingo de seu esconderijo numa fazenda de La Paloma (400 quilômetros a noroeste de Assunção) entrevista a vários órgãos de imprensa, inclusive a brasileira ‘‘Rede Globo’’, publicou ontem o jornal ‘‘ABC Color’’.
‘‘Estou no Paraguai’’, disse ao renovar acusações contra o presidente Luis González Macchi. ‘‘O governo é ilegítimo e cai em pedaços. González Macchi ficará no poder só mais algumas semanas.’’
Em entrevistas a emissoras de rádio e televisão, garante frequentemente estar em território paraguaio, fato negado pelas autoridades locais.
‘‘Se algum de vocês decidir me entregar, não cobrem US$ 100 mil, como dizem que a família de Argaña ofereceu por minha cabeça, mas US$ 1 milhão’’, expressou.