Ossadas aparecem em fossa comum
Uma ossada com ferimentos de bala e mãos atadas se converteu no décimo primeiro cadáver encontrado em uma fossa comum que poderia ser de presos desaparecidos da ditadura de Augusto Pinochet. O juiz Juan Guzmán exumou centenas de corpos de quatro fossas da cidade sulista de Concepción, e assinalou que estes 11 corpos têm ‘‘interesse legal’’ para seu propósito de encontrar e identificar presos desaparecidos. Familiares das vítimas do regime militar rodearam ontem as fossas comuns, ergueram as mãos segurando cravos e fotografias de seus parentes, e oraram por eles e pelo êxito das investigações de Guzmán. A antropóloga Isabel Reveco disse que ela e seus colegas ficaram impressionados ao ver como os parentes foram chegando ao local das fossas, 500 quilômetros ao sul de Santiago. Familiares e ativistas dos direitos humanos procuram os restos de 24 presos desaparecidos, mas até hoje só apareceram 11 ossadas que poderiam ser de vítimas da ditadura, já que apresentam múltiplas fraturas e orifícios feitos presumivelmente por balas.