Brasília - Organizações ambientalistas internacionais acusaram o Brasil ontem de estar acendendo ''uma verdadeira bomba de carbono'' com a reforma do Código Florestal, deixando desprotegida uma área de florestas quase do tamanho de França e Reino Unido somados.
A Rede de Ação Climática afirmou em seu popular boletim Eco, distribuído na conferência do clima de Durban, na África do Sul, que as mudanças propostas na lei que será enviada dentro de algumas semanas para a presidente Dilma Rousseff comprometem as ações de redução de emissões de CO2 anunciadas pelo Brasil em 2009.
''O Brasil usou a redução nas taxas de desmatamento para justificar uma posição de liderança em temas ambientais'', diz o boletim. ''No entanto, a mera antecipação da mudança na lei aumentou o desmatamento.''
O Eco afirma, ainda, que as mudanças no código criam uma situação ''embaraçosa'' para o Brasil, que sediará no ano que vem a conferência Rio +20, sobre desenvolvimento sustentável. ''Nos corredores aqui em Durban, esses eventos estão causando uma consternação considerável.''

Imagem ilustrativa da imagem ONGs criticam política ambiental brasileira