Matutes e Le Pen falam sobre o general O chanceler espanhol, Abel Matutes, qualificou de ‘‘autêntica vergonha’’ o tratamento dado na sexta-feira ao ex-ditador chileno Augusto Pinochet e afirmou que o presidente eleito do Chile, Ricardo Lagos, deve ‘‘demonstrar que é capaz de fazer com que o general seja julgado no Chile’’. Em declarações aos jornais ABC e El Mundo, de Madri, Matutes falou do ‘‘espetáculo vergonhoso’’ que o alto escalão do Exército fez no aeroporto de Santiago, ao festejar a volta de um homem ‘‘que não merece nenhum tipo de homenagem porque já recebeu a condenação moral do mundo inteiro’’. Enquanto isso em Paris, o líder do partido ultranacionalista francês Frente Nacional, Jean Marie Le Pen, declarou estar ‘‘felicíssimo’’ com o retorno ao Chile do ex-ditador Augusto Pinochet. ‘‘A perseguição exercida contra este velho general tinha algo de repugnante e escandalosa’’, especialmente quando se pensa que ‘‘Pinochet salvou o Chile e a América Latina da revolução comunista’’. Em Londres, o jornal Sunday Times publicou na edição de ontem que a ex-primeira-ministra Margaret Thatcher deu ao general uma bandeja de prata feita originalmente para celebrar a vitória de Sir Francis Drake sobre a Armada Espanhola – uma referência clara à tentativa malsucedida da Espanha de extraditar o ex-ditador chileno. Segundo o jornal, junto com o presente havia um bilhete com as seguintes palavras: ‘‘Seu retorno ao Chile prova que as tentativas da Espanha de impor um colonialismo judicial foram firmemente recusadas’’. (Associated Press)