Dois cosmonautas russos e um americano se transformaram ontem nos primeiros habitantes da Estação Espacial Internacional, o laboratório espacial do século 21 onde se dispõem a viver uma missão histórica de 117 dias.
Os astronautas russos Yuri Guidzenko e Serguei Krikaliov e o americano William Shepherd entraram ontem na ISS por volta das 11 horas, anunciou o centro de controle de vôos espaciais de Korolev, perto de Moscou.
O ingresso ocorreu hora e meia depois da acoplagem da nave espacial ‘‘Soyuz’’ ao módulo russo ‘‘Zvezda’’ (Estrela), principal elemento da estação, onde viverão e trabalharão durante quatro meses.
Foram os próprios tripulantes que anunciaram que acabavam de entrar na ISS, durante comunicação com o Centro de Controle de Vôos Espaciais (TSOUP) em Korolev.
Os cosmonautas acrescentaram que começavam de imediato a pôr em marcha os sistemas de iluminação e uma câmara que assegurará a transmissão de imagens ao vivo a partir da estação.
Os três cosmonautas partiram terça-feira do cosmódromo de Baikonur (Cazaquistão) a bordo da ‘‘Soyuz’’, na aventura excepcional que representa a primeira missão habitada de longa duração a bordo da ISS. Seu regresso à Terra está previsto para 26 de fevereiro.
A estação espacial é composta de três módulos, sendo considerado o laboratório do século 21 para astronautas de vários países. A ISS substituirá a estação russa Mir (Paz), que há 14 anos é a única estrutura orbital em operação. A Mir deve ser destruída em fevereiro do próximo ano, já que a Rússia não conta com meios suficientes para continuar financiado sua manutenção.
Com um comprimento de 48 metros, a ISS pesa atualmente cerca de 60 toneladas e seu volume habitável é de 264 metros cúbicos. O projeto reúne 16 países, entre os quais destacam-se os Estados Unidos e a Rússia. Na atualidade, a estação é composta por dois módulos russos, o Zaria (Alba) e Zvezda (Estrela), e pelo eixo de conexão americano Unity (Unidade).
Os três módulos são apenas uma mostra do que será a ISS, uma colossal estrutura com uma centena de peças, quatro vezes maior do que a Mir, e que terá 108 m de extensão e 74 de largura, com um espaço habitável de 1.200 m3. ‘‘A ISS é a primeira estação concebida graças aos esforços de vários países’’, enfatizou o porta-voz da Agência Espacial Russa, Serguei Gorbunov.