‘‘Chegou a hora da Jihad (guerra santa) contra Israel depois dos últimos ataques contra as cidades palestinas’’, declarou ontem, em Teerã, Abu Jahad Mohammad, o principal representante do movimento de resistência islâmica Hamas, citado pela rádio nacional.
‘‘O inimigo sionista lançou ataques bárbaros com o apoio dos Estados Unidos contra a nação palestina, visando o povo palestino com todas as suas forças, seus helicópteros e seus mísseis’’, acrescentou.
Mohammad declarou que todos os árabes e países islâmicos devem ajudar os palestinos em sua luta contra Israel, depois dos ataques aéreos israelenses realizados ontem contra cidades palestinas, em represália ao linchamento de soldados israelenses por uma multidão palestina enfurecida, em Ramalah, na Cisjordânia.
O dirigente do Hamas pediu aos países árabes e islâmicos que expulsem os embaixadores israelenses que se encontram em seus territórios, fechem suas embaixadas em Jerusalém e interrompam a entrega de petróleo aos países que apoiam Israel.
A Autoridade palestina libertou ontem a maior parte dos presos do movimento integrista Hamas, dos quais 120 membros estavam detidos pela Autoridade Palestina em Gaza e na Cisjordânia, segundo o movimento.
O Hamas, ferozmente contrário ao processo de paz, é responsável por uma série de atentados que provocaram várias dezenas de mortos em Israel desde 1994.