Nova York A segunda resolução que os Estados Unidos pretendem apresentar ao Conselho de Segurança das Nações Unidas será ''muito forte'', declarou ontem à AFP um diplomata norte-americano. O interlocutor, que pediu anonimato, indicou ''que este texto estabelecerá que a declaração iraquiana sobre seus armamentos contém omissões e que o doutor Blix (Hans Blix, chefe dos inspetores de armas) em seu relatório de sexta-feira indicou que o Iraque com seus mísseis havia cometido uma nova violação''.
''Esta resolução estabelecerá que o Iraque cometeu novas violações patentes'', acrescentou utilizando o termo empregado na resolução 1441 de 8 de novembro passado que abre o caminho para ''sérias consequências'', um eufemismo diplomático para se referir à guerra. Ele informou que os Estados Unidos não tomaram ainda a decisão definitiva sobre como apresentar este texto. O porta-voz da Casa Branca, Ari Fleisher, declarou que a administração do presidente George W. Bush poderia revelar esta semana um segundo projeto de resolução para reforçar um ultimato para o Iraque.
Debate O Conselho de Segurança das Nações Unidas abriu uma sessão pública, ontem, para permitir que outros membros expressem suas opiniões sobre uma posição a ser adotada ante o Iraque à luz do último informe dos inspetores de desarmamento.