Equador declara estado de exceção por causa da violência e do narcotráfico


Sylvia Colombo - Folhapress
Sylvia Colombo - Folhapress

Buenos Aires, Argentina - O presidente do Equador, Guillermo Lasso, anunciou que o país está em estado de exceção e que as Forças Armadas sairão às ruas para velar pela segurança dos cidadãos. "As Forças Armadas serão sentidas com força", afirmou, em cadeia nacional de TV na noite de segunda-feira (18).


A princípio a medida será válida por 60 dias. No começo da noite, Lasso ainda nomeou um novo ministro da Defesa, Luis Hernández, para o lugar de Fernando Donoso, que havia renunciado pela manhã. O presidente afirmou que as mudanças se davam em nome do combate ao narcotráfico e à violência.


Segundo ele, a pasta da Defesa apresentaria um plano de reforma das Forças Armadas, com o objetivo de que a luta contra a violência seja "mais forte, sólida e comprometida". O Equador vive uma crise de motins em prisões, com a mais recente rebelião, no final de setembro, tendo terminado com um saldo de 118 mortos.


A essa crise se soma a aparição do próprio Lasso no caso Pandora Papers. O Congresso do Equador aprovou no último dia 10 abertura de investigação para apurar se o presidente agiu ilegalmente ao manter dinheiro em paraísos fiscais, conforme revelado pela série de reportagens do ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos).

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo