A febre Ebola que afeta o Norte de Uganda provoca aé agora um índice de mortalidade menor do que nas epidemias anteriores registradas na África, indicaram ontem especialistas que se encontram em Campala. Segundo as estatísticas da Organização Mundial da Saúde (OMS), a febre hemorrágica do Ebola é mortal entre 50 e 90 % dos casos. A mortalidade registrada até então na região de Gulu é de 37%. Foram identificados 111 casos e 41 dos enfermos morreram, segundo o mais recente balanço anunciado ontem. Segundo a OMS, dos 1.100 casos de Ebola registrados desde 1976 e sem contar com a atual epidemia, 800 morreram. Os especialistas atribuem este menor índice de mortalidade à rapidez das medidas aplicadas pelas autoridades ugandenses e pela comunidade internacional, e se mostram otimistas, apesar de acharem que uma parte dos atuais enfermos vão morrer. ‘‘Até meados a próxima semana, esperamos uma baixa significativa do número de casos’’, disse à AFP o representante da OMS em Uganda, Oladapo Walker.