|
  • Bitcoin 102.839
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Mundo

m de leitura Atualizado em 13/06/2022, 17:15

Comissão se concentra na 'mentira' da fraude eleitoral de Trump

Em 6 de janeiro de 2021, uma multidão enfurecida tentou impedir a certificação da vitória de Biden no Congresso

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 13 de junho de 2022

Camille Camdessus/ France Presse
AUTOR autor do artigo

Foto: SAUL LOEB / AFP
menu flutuante

Washington, Estados Unidos - Quando Donald Trump descobriu que havia perdido a eleição para Joe Biden? E por que insiste em afirmar o contrário? A comissão parlamentar que investiga o ataque ao Capitólio tenta responder a essas. Este grupo de congressistas, que acusaram o agora ex-presidente americano de ter planejado uma "tentativa de golpe", procura revelar  como, na noite de 3 para 4 de novembro de 2020, data da eleição presidencial, "Donald Trump decidiu proclamar (sua) vitória, embora os dados da época não confirmassem isso", informou uma fonte parlamentar.

Uma imagem de vídeo do ex-presidente Trump é vista em uma tela durante uma audiência do Comitê de Seleção da Câmara para Investigar o Ataque de 6 de janeiro ao Capitólio dos EUA Uma imagem de vídeo do ex-presidente Trump é vista em uma tela durante uma audiência do Comitê de Seleção da Câmara para Investigar o Ataque de 6 de janeiro ao Capitólio dos EUA
Uma imagem de vídeo do ex-presidente Trump é vista em uma tela durante uma audiência do Comitê de Seleção da Câmara para Investigar o Ataque de 6 de janeiro ao Capitólio dos EUA |  Foto: SAUL LOEB / AFP
 

"Vamos ouvir testemunhas (...) que vão falar sobre o fato de o ex-presidente não ter números para ganhar, que lhe disseram repetidamente que ele não tinha números para ganhar", acrescentou a mesma fonte. Composto de sete democratas e dois republicanos, este grupo de representantes (deputados) investiga há quase um ano se Trump tem alguma responsabilidade na invasão ao Capitólio por parte de seus partidários. 

No dia em questão, 6 de janeiro de 2021, uma multidão enfurecida tentou impedir a certificação da vitória de Biden no Congresso, convencida de que a disputa presidencial de 2020 foi fraudada.

Na última quinta-feira (9), na primeira sessão dedicada à apresentação das conclusões, a comissão reviveu a violência do ataque ao Congresso dos Estados Unidos, revelando vídeos inéditos do episódio. A audiência desta segunda-feira (13)  trata da "decisão de Donald Trump de desafiar a vontade dos eleitores, de se declarar triunfante em uma eleição que havia perdido, de disseminar acusações de fraude e de ignorar as decisões da Justiça quando não eram a seu favor", comentou uma fonte da Casa.

A comissão promete fazer novas revelações sobre como “a máquina política do ex-presidente usou essas mentiras sobre fraude eleitoral para arrecadar doações, acumulando centenas de milhões de dólares entre o dia das eleições e 6 de janeiro de 2021”. O principal interessado no caso, Donald Trump, considera que a comissão está travando uma "caça às bruxas", que, segundo ele, "envergonha os Estados Unidos". O Partido Republicano já prometeu que vai enterrar o trabalho do comitê, se conseguir recuperar o controle da Câmara de Representantes nas eleições legislativas, as chamadas "midterms", em novembro próximo.

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1