Chechenos matam 37 soldados russos perto de Grozny Igor Gedilaghine France Presse De Moscou Os separatistas retomaram ataques ontem na Chechênia, matando 37 soldados russos na capital Grozny, e afirmando ter tomado o controle de três vilarejos, o que foi desmentido pelo Kremlin. O líder checheno, Movladi Udougov, assegurou que os separatistas tinham ‘‘retomado o controle total’’ de Alkhan-Kala, a dez quilômetros a sudoeste de Grozny, e de duas localidades estratégicas nas montanhas do sul. O exército russo ‘‘desmentiu categoricamente’’ a tomada desses três vilarejos, declarou o porta-voz do Kremlin, Serguei Iastrjembski, dizendo que se tratava de uma ‘‘desinformação deliberada’’. Segundo Udougov, violentos combates aconteceram ontem à tarde em Komsomolskoie e Rochni-Tchu, a sudoeste de Grozny. ‘‘É somente o começo da guerrilha, que estará acompanhada de operações militares em grande escala’’, informou. Os russos afirmam há vários dias que o grosso das forças separatistas foram derrotadas e que a operação militar terminará nos próximos dias. Segundo Moscou a cidadezinha de Chatoi, que caiu em suas mãos na terça-feira, era o último reduto importante dos separatistas. As forças federais reconheceram um das mais pesadas baixas em apenas um dia na emboscada que matou 37 soldados russos num bairro da zona norte em Grozny. Un destacamento de 98 policiais de elite foi emboscado por dezenas de combatentes chechenos, que prepararam muito bem seu plano de ataque e retirada. Segundo a televisão privada NTV, nenhum corpo de combatente checheno foi encontrado no local, enquanto que as forças federais afirmaram que muitos rebeldes foram mortos e poucos conseguiram escapar. Os russos tinham, no entanto, revistado esse subúrbio de Grozny em várias oportunidades e o declararam seguro. Depois do ataque, os militares indicaram que recomeçarão suas operações de ‘‘limpeza’’ em Grozny e outras zonas sob seu controle.