Caças russos estrelam propaganda eleitoral de Donald Trump (1)


IGOR GIELOW
IGOR GIELOW

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Acostumado a ser acusado de ter tido uma mãozinha do Kremlin na campanha de 2016, o presidente Donald Trump entregou uma prova incontestável da presença russa em sua tentativa de ficar na cadeira em novembro.

Não é exatamente um escândalo, contudo. A campanha de Trump montou uma peça de propaganda digital que pedia ao eleitor: "Apoie nossa tropas", com uma foto dramática de soldados e três caças no contraluz.



A associação presumida era a de que votar em Trump seria bom para os militares americanos. No caso, russos: a foto utilizada pelos marqueteiros era de caças "made in Russia" sobrevoando soldados do país de Vladimir Putin.

O erro é clássico: algum membro do time de marketing procurou uma foto de militares no banco de imagens Shutterstock, sempre acessado por agências de publicidade atrás de composições que combinem com o slogan planejado.

O problema é o simbolismo da coisa. Os aviões eram três MiG-29, um dos aparelhos mais famosos da Força Aérea Russa. Desenvolvido pelos soviéticos no fim dos anos 1970, equipou o bloco comunista e foi um dos símbolos da corrida armamentista que explodiu nos anos 1980.

Desde o fim da Guerra Fria, em 1991, foi preterido pelos modelos mais avançados da Sukhoi pelo Kremlin.

Ainda assim, há 144 MiG-29 em operação na Rússia. E o avião tem versões bastante modernizadas com uma carreira bem-sucedida como produto de exportação, e tem na Índia uma grande cliente. Na América do Sul, o Peru opera 19 modelos antigos do avião.

Além disso, os soldados carregam armas de assalto russas, baseadas no legendário AK-47 Kalachnikov.

A história foi revelada pelo site Politico, que encontrou o criador da imagem, Arthur Zakirov, 34. "Houve você ouve sobre as mãos do Kremlin na política americana. Amanhã você é essa mão", ironizou ele.

Ele mora em Perm, cidade perto dos montes Urais, e trabalha para uma empresa de extração de petróleo. Zakirov afirmou que usou os militares russos, o céu do seu país, montanhas gregas e solo francês para compor sua foto.



A campanha de Trump não comentou a gafe, veiculada como campanha para arrecadar fundos para a eleição de 8 a 12 de setembro pelo Comitê Nacional Republicano. Nas redes sociais, começaram a pulular piadinhas sobre os russos vindo ajudar o republicano, que enfrenta dificuldades em sua disputa contra o democrata Joe Biden.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo