|
  • Bitcoin 123.060
  • Dólar 5,0950
  • Euro 5,2392
Londrina

Mundo

m de leitura Atualizado em 01/07/2022, 15:52

Brasileiro assume presidência de Conselho de Segurança da ONU

Ronaldo Costa Filho já disse que a cúpula tem "falhado" em resolver a invasão da Rússia na Ucrânia.

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 01 de julho de 2022

UOL/Folhapress
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

 Ronaldo Costa Filho, embaixador do Brasil na ONU (Organização das Nações Unidas), assume temporariamente a presidência do Conselho de Segurança a partir desta sexta-feira (1). Em março, Costa Filho criticou o Conselho por "falhar" na tentativa de resolver o conflito entre Rússia e Ucrânia. O cargo é rotativo e ocupado por embaixadores dos principais países do mundo. Durante o mês de julho, o brasileiro será o responsável por presidir o Conselho -é a 11ª passagem do Brasil pelo órgão.

Em março, durante a reunião do Conselho de Segurança da ONU, o embaixador Ronaldo Costa Filho disse que a cúpula tem "falhado" em resolver a invasão da Rússia na Ucrânia. Em março, durante a reunião do Conselho de Segurança da ONU, o embaixador Ronaldo Costa Filho disse que a cúpula tem "falhado" em resolver a invasão da Rússia na Ucrânia.
Em março, durante a reunião do Conselho de Segurança da ONU, o embaixador Ronaldo Costa Filho disse que a cúpula tem "falhado" em resolver a invasão da Rússia na Ucrânia. |  Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
 

Segundo Costa Filho, sua presidência vai priorizar a comunicação estratégica em operações de manutenção da paz, "com respeito aos direitos humanos e combatendo a violência, inclusive sexual". Em relação à guerra na Ucrânia, o embaixador afirmou que tentará equilibrar a transparência e eficiência, além de buscar soluções.

"Uma das funções mais delicadas da presidência, a qual daremos a maior atenção, é cuidar do delicado equilíbrio entre transparência e eficiência. Por um lado, é necessário prestar contas para o público em geral e para os países não representados no Conselho. Por outro, a discrição muitas vezes é necessária para viabilizar um diálogo franco, voltado à busca de soluções, e não a relações públicas".

O representante também afirmou que o Brasil organizará um debate sobre crianças e conflitos armados, que abordará temas como o recrutamento de crianças-soldado e o ataque contra escolas e educação.

O Conselho de Segurança tem 15 países com direito a voto, mas apenas os cinco permanentes têm direito ao veto: China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia.

COSTA FILHO CRITICOU "FALHAS" DO CONSELHO DA ONU

Em março, durante a reunião do Conselho de Segurança da ONU, o embaixador Ronaldo Costa Filho disse que a cúpula tem "falhado" em resolver a invasão da Rússia na Ucrânia.

"Isso não é um paradoxo, ao contrário, é uma falha do Conselho de agir de uma forma construtiva em endereçar esse tópico", concluiu.

Receba nossas notícias direto no seu celular. Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.