Biden pede doações após Trump bloquear recursos para transição


SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente eleito dos EUA, Joe Biden, está pedindo doações a apoiadores para financiar sua equipe de transição após Donald Trump se recusar a reconhecer a derrota nas eleições deste mês.

A decisão do republicano, inédita na história americana, impede que Biden tenha acesso a milhões de dólares que seriam usados para pagar salários e despesas do processo de preparação do novo governo.



Em uma mensagem publicada em uma rede social na sexta (20), o democrata disse que Trump estava postergando a transição. "Temos que financiá-la nós mesmos e precisamos de sua ajuda", escreveu ele.

O governo Trump também bloqueou o acesso da equipe de transição a dados e documentos oficiais.

Nos EUA, assim que um novo presidente é eleito, a Administração de Serviços Gerais (GSA, na sigla em inglês) autoriza de maneira formal o início da transição. A liderança da agência assina uma carta que libera recursos para pagamento de salários e apoio administrativo aos novos funcionários, além do acesso à burocracia americana -neste ano, o valor total é estimado em US$ 9,9 milhões (R$ 52,97 milhões).

O processo funciona assim desde 1963, quando a Lei de Transição Presidencial foi promulgada e, até agora, começava sempre horas ou dias depois de um novo presidente ser declarado eleito.



Trump insiste, sem apresentar provas, que a eleição foi fraudada. Apesar da pressão que tem sofrido por parte de aliados, o presidente continua dificultando a transferência do cargo –e promete novas ações judiciais para contestar a eleição.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo