O primeiro-ministro de Israel, Ehud Barak, fracassou ontem em sua tentativa de formar um governo de unidade nacional com o partido direitista Likud, liderado pelo ex-ministro da Defesa Ariel Sharon. Ao mesmo tempo, quatro palestinos foram mortos em confrontos com tropas israelenses em Gaza e na Cisjordânia, elevando para 143 o saldo de mortes em um mês de enfrentamentos – completado no sábado. Não há perspectiva de que a violência cesse nos próximos dias, uma vez que o próprio presidente da Autoridade Palestina (AP), Yasser Arafat, reafirmou ontem seu apoio à intifada – como é chamado o levante dos árabes dos territórios ocupados por Israel.