Associated Press
De Viena
O presidente austríaco, Thomas Klestil, adiou de ontem para hoje sua decisão sobre a formação do novo governo, mas já indicou que aprovará a coalizão entre os conservadores de Wolfgang Schuessel e os ultradireitistas de Joerg Haider, apesar da intensa pressão externa contra essa aliança.
‘‘Se eu empossar este governo, não farei isso por convicção pessoal, porque temo que a Áustria vá sofrer internacionalmente’’, afirmou Klestil à revista ‘‘News’’. Mas acrescentou: ‘‘Numa democracia, uma maioria parlamentar tem de ser respeitada. As preferências pessoais não contam.’’
Klestil exigiu, entretanto, que os líderes da coalizão assinem um documento comprometendo-se a respeitar a democracia. Segundo um porta-voz presidencial, Haider e Schuessel iriam reunir-se ontem com Klestil para assinar a chamada Declaração de Valores da Democracia Européia.
Nas eleições de outubro, o Partido da Liberdade, de Haider, e o Partido Popular, de Schuessel, ganharam, cada um, 52 das 183 cadeiras do Parlamento. Ambos fecharam terça-feira um acordo de coalizão para substituir o minoritário governo demissionário do chanceler social-democrata Viktor Klima.
Segundo a agência austríaca APA, pelo acordo, o novo governo seria chefiado por Schuessel, cuja agremiação ficaria também com as pastas Relações Exteriores, Interior, Economia, Agricultura e Educação. Já o Partido da Liberdade comandaria os Ministérios das Finanças, Defesa, Justiça e Infra-Estrutura. Cada partido teria também duas secretarias de Estado.
Haider e Schuessel se reuniram ontem com Klestil – para apresentar-lhe seu programa de governo. Haider saiu otimista do encontro e assinalou que o presidente não pode negar-se a dar um mandato a dois partidos que controlam amplamente o Parlamento. ‘‘A reunião foi muito construtiva’’, afirmou, acrescentando que Klestil gostou do programa, embora tenha pedido que sejam feitos vários ‘‘ajustes aceitáveis’’.
Tanto na entrada como na saída da reunião, Haider e Schuessel foram alvo de irados protestos de centenas de pessoas. Para o líder do Partido da Liberdade, a multidão dirigiu gritos de ‘‘porco nazista’’ e ‘‘fascista’’. Já Schuessel foi chamado de ‘‘Judas’’. Mais tarde, mais de 10 mil pessoas saíram às de Viena em protesto contra a perspectiva de retorno da ultradireita ao poder no país em que nasceu Adolf Hitler. ‘‘Não a uma coalizão com racistas’’, dizia uma faixa levada pelos manifestantes. ‘‘Haider e Schuessel estão transformando a Áustria num estado pária e queremos mostrar nosso desgosto com isso’’, disse um professor de segundo grau.
A União Européia e os EUA repetiram ontem as ameaças de isolar politicamente a Áustria. Portugal, que preside a UE e tem sido a voz dos 14 parceiros de Viena na comunidade, advertiu que não importa qual seja o programa do futuro governo, pois só o fato de ele incluir o partido de Haider é o bastante para provocar a ira européia. ‘‘Se Haider e seu partido forem admitidos no governo austríaco, o país não pertencerá àquela família européia que se guia pela tolerância, pelos direitos humanos e pela luta contra a xenofobia’’, afirmou o primeiro-ministro português, Antonio Guterres.
A Bélgica instruiu ontem seus diplomatas a ‘‘adotar com rigor’’ as medidas acertadas pelos 14 colegas austríacos na UE caso seja formado um governo com o Partido da Liberdade. Entre essas medidas está o corte dos contatos oficiais bilaterais com a Áustria. O chanceler francês, Hubert Védrine, ressaltou que Paris ‘‘terá de reduzir as relações bilaterais ao mais baixo nível’’. O primeiro-ministro alemão, Joschka Fischer, disse temer que Haider acabe, no futuro, assumindo o governo e insuflando uma perigosa onda de nacionalismo pela Europa: ‘‘A estratégia de Haider é clara’’, afirmou. ‘‘Ele quer ser chanceler.’’
O governo israelense reiterou ontem que retirará seu embaixador da Áustria se o Partido da Liberdade integrar o futuro governo. ‘‘A inclusão de um partido de extrema direita no governo de um país europeu como a Áustria deve ultrajar cada cidadão do mundo livre’’, afirmou o primeiro-ministro israelense, Ehud Barak.