Duas pessoas ficaram feridas no começo da madrugada de ontemapós a explosão de um carro-bomba no centro da cidade de Barcelona, na Espanha, segundo o Ministério do Interior. De acordo com as primeiras informações, uma ligação telefônica anônima advertiu sobre o atentado, atribuído à organização separatista basca ETA (Pátria Basca e Liberdade). Em luta pela independência do país basco, há 32 anos a ETA vem promovendo uma série de atentados no país, o que já provocou a morte desde então de cerca de 800 pessoas.
No começo da semana, uma outra explosão de um carro-bomba, numa zona residencial de Madrid, causou a morte de um juiz da Suprema Corte, de seu motorista e de um policial que realizava a escolta do magistrado, além de ferir mais de 60 pessoas. Somente este ano, as autoridades espanholas responsabilizam o ETA pela morte de 19 pessoas.
Um policial que estava no local da explosão escapou da morte porque o nó de sua gravata amorteceu o impacto de um fragmento de metralha, informou a agência Europa Press.
O policial municipal de Barcelona, que ficou levemente ferido no atentado, participava na evacuação do setor depois que a ETA tinha anunciado por telefone que um carro-bomba ia explodir.
Nos minutos que se seguiram à explosão, o policial foi socorrer outro ferido e quando o estava ajudando a estancar o sangue percebeu que o nó de sua gravata tinha cheiro de queimado devido a um fragmento incrustado, o que evitou que tivesse a garganta cortada.
Com tremores e um ouvido afetado, o policial foi hospitalizado, mas recebeu alta em seguida.