Assassinado advogado de Sharif France PresseO corpo de Iqbal Raad é retirado do escritório onde foi morto Associated Press De Karachi Poucos dias depois de receber ameaças de morte, um dos advogados do deposto primeiro-ministro do Paquistão Nawaz Sharif foi morto ontem por três pistoleiros. Sharif está sendo julgado pelas acusações de sequestro, terrorismo e tentativa de assassinato. Três homens, armados com um fuzil e pistolas, invadiram o escritório do advogado Iqbal Raad atirando, enquanto outro pistoleiro vigiava a entrada do prédio na cidade de Karachi. Um assistente de Raad e um outro advogado também foram assassinados. Horas mais tarde, o novo governante militar do país, o general Pervez Musharraf, qualificou o ataque de ‘‘novo ato terrorista’’ e ordenou que os pistoleiros fossem encontrados e detidos. ‘‘Eu perdi as esperanças’’, desabafou a mulher de Sharif, Khulsoon. ‘‘Se tal preeminente advogado envolvido num caso de tanta repercussão como este pode ser morto, por que alguém mais iria assumir o caso? O assassinato ocorre duas semanas antes da visita que o presidente americano, Bill Clinton, fará ao Paquistão. A Casa Branca divulgou um comunicado condenando o assassinato e destacando que Sharif merece um julgamento ‘‘livre, aberto e transparente’’. Sharif foi acusado de ter impedido, em 12 de outubro, que o avião em que o general Musharraf viajava aterrissasse no aeroporto de Karachi. A nave, com mais de 200 pessoas a bordo, aterrissou quando estava com combustível para apenas mais sete minutos de vôo. Poucas horas depois do incidente, altos comandantes militares rebelaram-se e tomaram o poder.