Que ninguém mais fica sem celular hoje em dia, isto é fato. E quando não há tomada por perto e a bateria do celular ou tablet acaba? Para evitar passar por este tipo de situação, mais um gadget passou a se tornar obrigatório para os fãs de tecnologia: os carregadores portáteis. Com formato que muitas vezes se assemelha ao de um HD externo, eles nada mais são que baterias externas que, quando conectadas a um smartphone ou tablet via USB, proveem uma carga total ou parcial do aparelho, sem a necessidade de ligá-lo a uma tomada.
"Esses aparelhos são chamados no mercado de bateria externa ou banco de energia. É um produto que fornece uma carga extra para a bateria do smartphone e/ou tablet", explica Harry Lee, gerente de vendas da Adata, companhia taiwanesa que fabrica, entre outros aparelhos, as baterias externas. Depois de esgotada a energia do carregador, o aparelho é recarregado normalmente, assim como o telefone celular, na tomada da parede ou no computador pelo cabo USB.
"Hoje, como a maioria das pessoas passa boa parte do dia fora de casa e cada vez mais conectada, utilizando as redes 3G, 4G, GPS e aplicativos que consomem mais energia, as baterias dos aparelhos realmente vão acabando ao longo do dia", observa Luis Vieira, gerente de RME (Recording Media & Energy) da Sony Brasil.
Segundo ele, a recomendação é adquirir um carregador que suporta ao menos uma carga completa do smartphone ou tablet, e isso pode ser feito verificando a amperagem dos aparelhos, descrita pela unidade de medida mAh (miliampere hora, quantidade de corrente elétrica que a bateria pode fornecer em uma hora). A amperagem do carregador precisa ser compatível com a amperagem do aparelho que deverá ser recarregado.
"Se um usuário com smartphone de bateria de 2.000 mAh usar um carregador portátil com bateria de 1720 mAh, a carga da bateria não será completa, atingindo aproximadamente 60% de sua capacidade", explica Clarissa Lettieri, gerente de produtos e portfólio da Microsoft Devices (nome da área de dispositivos da Microsoft após a compra da Nokia).
De acordo com o gerente do departamento de tecnologia da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Fabián Yaksic, em média, os modelos mais recentes de smartphones comportam de 1.800 mAh a 2.500 mAh, e os carregadores portáteis presentes no mercado oferecem de 1.300 mAh a 10.000 mAh.
"Ao escolher um banco de energia, o consumidor precisa se atentar à sua capacidade (quanto maior a capacidade, mais rápido o carregamento e mais cargas poderão ser feitas), saídas para USB (os mais recentes possuem saída para USB 3.0, mais velozes) - e ao seu tamanho, pois quanto menor, mais fácil será de carregá-lo", orienta Lee, da Adata.

Imagem ilustrativa da imagem Tablets e smartphones livres das tomadas