Com a concorrência criminosa dos ''piratas'' e a perda de grande parcela da clientela, as videolocadoras penaram para se manter no mercado. Uma estratégia foi tentar agregar facilidade ao dia a dia para reconquistar os clientes. Agora, começam a ganhar popularidade serviços que dispensam a necessidade de sair de casa para alugar e devolver o bom e velho filme original na locadora. No mercado brasileiro, desembarcou recentemente a norte-americana Netflix, empresa de assinatura de filmes e séries on-line
A Netflix chegou oferecendo todo o seu acervo de filmes e séries por R$ 14,99 mensal, com um mês gratuito para ''degustação''. O cliente pode assistir a todos os vídeos pela internet, quantas vezes quiser, durante os 30 dias. O conteúdo pode ser visto do computador, de TVs com conexão e de videogames por streaming. A transmissão ocorre instantaneamente via internet, sem necessidade de fazer download. Desde que a norte-americana chegou por aqui, já foram consumidas pelos brasileiros mais de um milhão de horas de streaming - o equivalente a assistir mais de 10 mil vezes a temporada completa de Lost, segundo a empresa.
Com este serviço no Brasil, a empresa passa a concorrer com a brasileira NetMovies. E o mercado promete outros lançamentos. Para alavancar suas locações de vídeo e fazer frente à concorrência, a rede 100% Vídeo promete lançar, a partir do primeiro semestre do ano que vem, serviço de locação pela internet para assistir por streaming. Estas são apenas algumas novidades do crescente mercado de consumo de vídeos pela internet.
Apesar de todos serem oferecidos pela web, os serviços podem ser divididos em três tipos: assinatura ilimitada de vídeos, pagando-se uma taxa fixa por mês (Netflix e NetMovies); locação com o pagamento por filme ou série e exibição por streaming; aluguel pelo pen drive (ainda inédito no País); e locação pela internet mas com recebimento físico da mídia, em casa.
Existe ainda, na indústria cinematográfica, a chamada ''janela de exibição'', um período que os estúdios e produtores estabelecem para que os seus títulos sejam exibidos ou comercializados por determinado serviço após a estreia no cinema. E, neste processo, as locadoras de vídeo saem na frente, porque só depois os filmes são comercializados pelo varejo, são reproduzidos pela TV e chegam ao streaming ilimitado. Os serviços que alugam digitalmente entram na mesma janela das locadoras de vídeo.

Imagem ilustrativa da imagem COMODIDADE - Para assistir em casa, da internet