|
  • Bitcoin
  • Dólar
  • Euro
Londrina

Mercado Digital 5m de leitura Atualizado em 18/02/2020, 09:44

Autosserviço ganha força nos estabelecimentos em Londrina

Sistema permite que o consumidor realize todo o processo de compra por conta própria; liberdade é citada como vantagem do modelo de atendimento

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Mie Francine Chiba - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Quem nunca se sentiu “abandonado” pelo atendente em um estabelecimento, especialmente em dias de grande movimento? Dar conta do grande fluxo de clientes é um dos grandes desafios dos empresários, e que vem sendo endereçado por meio do autosserviço – sistema em que o consumidor realiza todo o processo de compra por conta própria, desde a escolha dos produtos até o pagamento. A liberdade tem sido citada como uma vantagem proporcionada por esse modelo de atendimento. Pelo autosserviço, o cliente pode consumir quando e como quiser, sem depender de uma pessoa para isso.

Imagem ilustrativa da imagem Autosserviço ganha força nos estabelecimentos em Londrina
|  Foto: Gustavo Carneiro
 

Em um supermercado da cidade, o consumidor já pode entrar, escolher os produtos e fazer o pagamento diretamente por um aplicativo, sem precisar passar pelo caixa. Para isso, basta escanear o código de barras dos produtos utilizando a câmera do celular. Ao final, o cliente só precisa passar por uma máquina para imprimir o cupom fiscal e acomodar as compras na sacola. A impressão do cupom fiscal é feita através de leitura de um QR Code exibido pelo aplicativo na tela do celular. Em 2012, a rede de supermercados já havia instalado em uma de suas unidades o autocaixa rápido, para compras de até 15 itens e, recentemente, instalou o autocaixa dinâmico para compras maiores.

Mariana Presser
 

O autosserviço, na visão de Fabio Donadon, diretor de Tecnologia do Grupo Muffato, torna a jornada do consumidor mais fluida. O sistema – batizado de Shop & Go – será implantado em todas as unidades “gourmet” do grupo. A primeira unidade a receber o sistema foi a de Curitiba, em agosto. Em Londrina, o Shop & Go chegou em dezembro, para compras de até 10 produtos diferentes. Para usar, o cliente deve baixar o app no seu smartphone.

“O modelo permite que o cliente realize seu próprio atendimento, fazendo com que ele se sinta mais independente e confortável na loja”, comenta Patricia Cotti, diretora executiva do Ibevar (Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo).

Ao mesmo tempo, o modelo pode ser visto como uma alternativa para os empresários melhorarem a experiência do consumidor, reduzirem custos, aumentarem a produtividade e gerarem vantagem competitiva, completa Cotti.

O autosserviço faz sentido especialmente em um momento que o consumidor quer fazer tudo pelo celular, sem precisar carregar consigo a carteira, opina Donadon, do Grupo Muffato. “O celular está sempre na palma da mão, então os clientes querem fazer compras também com o celular. A aceitação é grande.” A ideia, no entanto, não é impor o novo modelo aos consumidores. Os caixas convencionais continuam presentes nos supermercados para que o cliente escolha a forma de pagar de acordo com a situação e sua preferência.

Sistema cresce nos pubs

Para Diogo Takayama, CEO da RTN Produtos Eletrônicos, os consumidores hoje buscam uma experiência positiva de consumo, e o autosserviço permite isso. A RTN é criadora de um sistema de autosserviço de chopes e cervejas, utilizado em bares e pubs em Londrina, mas também em São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Pernambuco, Bahia e Tocantins. O consumidor instala um aplicativo em seu celular – o Iris Pay -, e com ele pode retirar chopes e cervejas diretamente da torneira ao escanear um QR Code. O pagamento é feito na hora pelo aplicativo.  

Imagem ilustrativa da imagem Autosserviço ganha força nos estabelecimentos em Londrina
|  Foto: iStock
 

A vantagem é que o cliente pode se servir quando quiser e da quantidade que quiser. O aplicativo cobra apenas pela quantidade retirada das torneiras. O sistema é especialmente útil para estabelecimentos que oferecem diversos tipos de chopes e cervejas artesanais, já que o cliente pode provar uma pequena quantidade de cada bebida e escolher aquela que mais lhe agrada, antes de se servir de uma caneca inteira. 

“Cada um se serve da forma que quer, na quantidade que quer. O consumidor se sente mais à vontade”, diz Takayama.

Wanderson Junior da Silva, gerente do pub The Saint, em Londrina, opina que o sistema de autosserviço agiliza o atendimento. Ele calcula que cerca de 35% dos clientes que consomem chope no estabelecimento já usam o sistema. “Mas a gente sente que cada vez mais pessoas estão usando.” Para ele, os clientes aderem ao autosserviço devido à agilidade e a liberdade de consumir a quantidade que quiser. Se o cliente não consumiu outro tipo de prato ou bebida, ele sequer precisa enfrentar a fila do caixa antes de ir embora.

A diretora executiva do Ibevar, Patrícia Cotti, lembra, no entanto, que o autosserviço não é sinônimo de abandono do consumidor. “Cabe destacar que o autosserviço não é o abandono do consumidor no ponto de venda, mas sim o seu direcionamento a compra por meio de outras atitudes e serviços que não o humano, sem que ele se sinta perdido.”

instagram

ÚLTIMOS POSTS NO INSTAGRAM