Foi-se o tempo das cadernetas e planilhas. Aplicativos para smartphones facilitam e agilizam a tarefa de controle das finanças pessoais. Basicamente, estas ferramentas permitem registrar contas e despesas do dia a dia, ter controle de lançamentos no cartão de crédito e financiamentos e gerar gráficos e relatórios que ajudam a visualizar a situação financeira. Outros também viabilizam traçar metas e fazer planejamentos. Principalmente para quem não está em uma situação muito confortável financeiramente, é uma ferramenta interessante para ter o controle do dinheiro sempre em mãos.
De acordo com Paulo Sain, sócio fundador do aplicativo MinhasEconomias, a vantagem da ferramenta móvel é poder registrar atividades financeiras a qualquer momento e de qualquer lugar. As informações vão para a "nuvem", e podem ser consultadas mais tarde do próprio celular ou do computador. "Se a pessoa está viajando, na rua, ela pode marcar uma despesa pelo celular e a informação é sincronizada no servidor. Fica disponível no celular ou na web."
Outra possibilidade trazida por estes apps é a visualização de como o dinheiro está sendo gasto por meio de gráficos e relatórios. Para quem quer economizar, a ferramenta é capaz de apontar, por exemplo, áreas que apresentam mais despesas e que podem receber cortes no orçamento, sugere Sain.
O diferencial do MinhasEconomias, de acordo com ele, é a possibilidade de fazer projeções e o planejamento das finanças com a ferramenta. "A maioria das ferramentas de controle é como um retrovisor de carro: você olha para o que gastou e para o que ganhou lá atrás. Mas se você quer financiar um carro ou um imóvel, seria melhor que você pudesse projetar os gastos e ver se você vai ter dinheiro para isso."
Porém, Sain, que também é administrador, orienta que a ferramenta é apenas um apoio na organização das finanças pessoais. "É preciso não só ter controle financeiro, mas também ter mudança de atitude."

Geração Y
Para o coordenador do curso de Ciências Econômicas da PUC-PR, Carlos Magno, estes aplicativos também podem ser uma maneira de aproximar as gerações mais novas do hábito de controlar as finanças. "É uma evolução. Primeiro, as pessoas faziam o controle financeiro em uma caderneta e depois passavam para uma planilha eletrônica. Estes aplicativos alcançam as novas gerações. Mas tem que ter o hábito de consultar o aplicativo sempre. Não adianta instalar e não acompanhar."
Na visão do professor de Finanças do Isae/FGV em Curitiba, Sérgio Itamar, estes aplicativos podem ajudar no planejamento das finanças, transformando "necessidades e sonhos em metas". "Como o app fica perto da pessoa, ela pode fazer o acompanhamento diário de suas finanças para transformar suas necessidades e sonhos em metas. A época das planilhas e cadernetas acabou, e como o celular já é quase como que uma peça da vestimenta, fica mais fácil não esquecer de suas obrigações para ficar mais próximo do que se está planejando."

Imagem ilustrativa da imagem Apps ajudam a organizar o orçamento