Isolamento domiciliar com coronavírus tem regra até para usar o banheiro

Para garantir que o afastamento seja efetivo e evite a contaminação de outras pessoas, algumas rotinas estritas de higiene são essenciais, desde a lavagem das roupas até a limpeza do banheiro

Phillippe Watanabe/Folhapress
Phillippe Watanabe/Folhapress

São Paulo -  Você ou alguém que mora na sua casa pegou a Covid-19. Como ocorre na maior parte dos casos, os sintomas são leves ou moderados e, assim, o paciente ficará em isolamento domiciliar, a menos que o estado de saúde piore, por até 14 dias. Para garantir que o afastamento seja efetivo e evite a contaminação de outras pessoas, algumas rotinas estritas de higiene são essenciais, desde a lavagem das roupas até a limpeza do banheiro a cada vez que um infectado o utilizar.




O paciente em isolamento deve limpar as áreas com as quais teve contato, como pia e vaso
O paciente em isolamento deve limpar as áreas com as quais teve contato, como pia e vaso | Diego_Cervo
 

A primeira dica essencial para esse cenário é o isolamento. A pessoa infectada deve ser mantida, se possível, em um cômodo separado e fechado da casa. Segundo o guia de isolamento domiciliar desenvolvido pelo Reino Unido, é importante estar em um quarto com janelas passíveis de serem abertas e mantê-las desse jeito o maior tempo possível.Mesmo com o isolamento, medidas de etiqueta básica de higiene permanecem indispensáveis, como usar a dobra do braço ou lenço descartável para tossir ou espirrar e manter as mãos limpas, com água e sabão ou álcool em gel.






Além do afastamento físico, o de objetos também é essencial para evitar a transmissão entre os moradores do local. Deve-se separar toalhas, não dividir a mesma cama e, logicamente, não compartilhar escovas de dentes, copos, talheres ou comida. Itens muito tocados na casa, como mesas, maçanetas, telefones, criados-mudos etc, devem ser limpos com frequência – e também vale a ideia de manter as mãos sempre limpas.


Os ambientes comuns da casa, como banheiro e cozinha, devem estar bem ventilados e deve-se evitar que a pessoa doente fique nesse espaço enquanto outras pessoas saudáveis estão ali. Se possível, a pessoa doente deve usar um banheiro separado da casa, afirma o manual para isolamento domiciliar dos CDCs (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA). Sabe-se que o coronavírus também é transmitido pelas fezes.


Outros cuidados específicos com o banheiro, local rico em secreções corpóreas, também são indicados, segundo o governo do Reino Unido. Um deles é criar uma espécie de rotação de uso, na qual a pessoa infectada seja a última a utilizar a instalação. Além disso, o paciente em isolamento deve limpar as áreas com as quais teve contato, como pia e vaso.A hora de lavar as roupas também tem regras. O Ministério da Saúde indica que as pessoas devem manter separadas e lavar separadamente as roupas e roupas de cama dos doentes. Se a higienização das peças não puder ser feita naquele momento, a pasta indica que o material seja armazenado em sacos plásticos de lixo até a hora da lavagem.


O Reino Unido indica que não se deve balançar as roupas sujas, ação que poderia facilitar a dispersão do vírus. Roupas com sangue, fezes e outros fluidos devem ser lavadas imediatamente. Os CDC indicam que o manuseio deve ser feito com luvas – e de preferência longe do corpo–, as quais, em seguida, precisam ser removidas e jogadas fora (não as reutilize). Lave as mãos com água e sabão após tirar as luvas. O lixo da pessoa doente, onde ela deverá jogar lenços descartáveis, luvas e máscaras cirúrgicas, também deve ser separado do resto da casa.


Quando a lixeira do paciente estiver cheia, feche o saco de lixo que ali está e o coloque dentro de um segundo saco. É importante lavar as mãos após esses procedimentos.Para quem está cuidando de alguém doente ou está na mesma casa, é crucial prestar atenção a possíveis sintomas em si mesmo. Caso surjam, vale ligar para um centro de saúde para pedir orientações. Fique de olho no seu companheiro de casa e busque saber como é possível ajudar, seja fazendo compras ou buscando remédios.


Se o quadro do paciente piorar (respiração ofegante, por exemplo), é importante buscar ajuda especializada –vale ligar antes. A compra antecipada de medicamentos contra febre, tosse e outros de uso contínuo é orientada pelo Ministério da Saúde. O mesmo vale para o armazenamento de produtos de higiene e fraldas para bebês. Tais medidas são pensadas para evitar aglomerações em mercados e farmácias. Por fim, vale lembrar que a pessoa em isolamento deve se manter afastada de grupos de risco, como idosos e pessoas com comorbidades, como problemas cardíacos, respiratórios e diabetes. Em meio ao isolamento, não se deve esquecer de também prestar atenção na saúde mental, e buscar ajuda se necessário.





Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:

Últimas notícias

Continue lendo