Célia Baroni
De Londrina
A cama ocupa um lugar de honra na hora de compor a decoração do quarto, seja ele de casal ou de solteiro. Afinal passamos cerca de 30% do nossa vida dormindo e de um sono de boa qualidade depende o rendimento no dia a dia. Até aí nada de novo. Surpresa é descobrir que apesar de secundária (o primeiro é o colchão) a cama também interfere na qualidade do sono. Ela não é apenas um enfeite ou apoio para o colchão.
‘‘A cama também tem de seguir normas específicas para não acarretar problemas de postura e desconfortos’’, afirma a arquiteta e designer de móveis Teba Godoy. Ao sentar na cama, por exemplo, o usuário tem de poder colocar os pés no chão.
Ela explica que as empresas sérias respeitam as normas padrão e se a pessoa está dentro do considerado ‘‘padrão’’ (altura e peso) não há porque se preocupar. ‘‘Basta gostar e levar. Só sobra a preocupação de comprar um colchão adequado’’, orienta.
A situação muda completamente quando o usuário é muito baixo, muito alto ou tem problemas de postura e de coluna. ‘‘Nestes casos vale a pena pensar em mandar fazer uma cama sob medida. Caso a cama seja de casal será feita uma média para chegar à proporção ideal. Um colchão especial orientado pelo médico é indispensável ’, frisa.
Para a arquiteta e designer de móveis estamos passando uma fase transitória no que diz respeito às camas. Teba Godoy acredita que, com o tempo, as camas vão estar reduzidas a cabeceiras. O responsável é o colchão de mola tipo americano que está encantando os consumidores.
Quando o usuário opta por apenas um colchão, a cama ainda continua sendo importante. Mas normalmente precisa ser especial porque as medidas brasileiras e americanas costumam ser diferentes.
Se a pessoa escolher a cama americana (com dois colchões de mola) a cama fica reduzida à cabeceira e passa a ter apenas valor estético. Nestes casos o colchão de baixo tem pés e serve como apoio para o colchão de cima e pode ser usado até sem cabeceira. ‘‘A valorização das cabeceiras já é um fato. Só não é mais utilizada porque os colchões de mola ainda são um artigo caro no País’’, analisa.
Mesmo sendo produtos muito superiores em qualidade, conforto e estudados para garantir a postura correta durante o sono, um cuidado essencial deve ser observado: a altura dos colchões. Feitos para o padrão americano, eles costumam ser altos para os brasileiros. As lojas podem orientar sugerindo formas para resolver este tipo de problema.